Aprender a aprender: 6 benefícios e como chegar lá

Aprender a aprender - como ser autodidataEu sempre fui dessas pessoas que pensa que aprender é uma das melhores coisas da vida. 😀 E desde muito nova eu quis aprender como aprender, ou seja, como me tornar autodidata.

Saber como aprender sozinha é tudo de bom! Por que significa que não preciso ficar esperando que alguém ou alguma instituição me proporcione aquilo que quero… eu simplesmente vou lá e aprendo, no meu momento e do meu jeito.

Posso parecer um pouco ‘metida” falando assim, mas não é isso não. Acompanha no vídeo para você perceber quantos benefícios tem a pessoa que é autodidata!

Se por algum motivo você não conseguiu ver o vídeo ou prefere ler, eu separei 6 benefícios para motivá-lo a buscar essa autonomia de aprendizagem para a sua  vida.

Os 6 benefícios você vai descobrir nos seguinte tópicos:

E ainda vamos ver…

Qual o ritmo ideal para você aprender?

Dois dos maiores benefícios em ser autodidata é que passa a ser sua responsabilidade decidir qual é o ritmo de aprendizagem ideal para você e também qual o nível de profundidade que você vai dar em cada assunto.

E isso vale tanto para mais quanto para menos!

Por exemplo, tem coisas que precisam de um pouco mais de tempo para assimilar e se o professor for rápido demais você se perde em sala de aula, o aprendizado fica longe do esperado, e o tempo em aula acaba sendo um desperdício. 

Por outro lado, tem coisas que você aprende mais rápido e se o professor for meio “lentinho” na explicação – seja porque a turma está naquele ritmo ou porque é o estilo do professor mesmo – a aula se torna extremamente entediante. Isso também gera uma perda de tempo e ainda gera desmotivação

E o mesmo raciocínio do ritmo vale para o nível de aprofundamento.

Caso você esteja estudando para exercer uma certa profissão, você precisa se especializar em algumas áreas. E, para isso é necessário se aprofundar mais, ir além do que aquele básico que é passado para todo mundo dentro de sala. Nesta situação, é irritante ficar em uma aula que não sai do “feijão com arroz”. 

Por outro lado, há áreas em que não temos tanto interesse, em que só precisamos ter um conhecimento geral do assunto. E pode ser bem nesse tema que o seu professor decide se aprofundar, só porque por acaso ele é superespecialista naquilo! 

Como aumentar a motivação para estudar?

lapis-motivação

A motivação não é uma mágica ou um mistério que aparece e desaparece sem que você tenha nenhum controle sobre ela. É um estado mental que podemos deliberadamente aumentar ou diminuir de acordo com o que trazemos para nossa vida.

O autodidatismo, ou aprender a aprender, como eu gosto de chamar, traz dois fatores que comprovadamente aumentam a motivação das pessoas: a independência que mencionei no item anterior e a competência.

Funciona assim: quando você consegue pegar um material e aprender por si mesmo, sem depender de ninguém, você se sente mais competente e isso aumenta a sua motivação para continuar a fazer aquilo.

Esse é um dos efeitos ‘colaterais’ do autodidatismo: aumentar a sua vontade de estudar naturalmente. 

Como o autodidatismo reduz o custo de aprendizagem

Um único livro bem estudado de maneira autodidata, pode trazer muito mais conhecimento real do que um cursinho que normalmente é bem mais caro.

O custo, nesse caso, vai além da mensalidade do curso: tem o transporte, a alimentação fora de casa, o tempo de deslocamento até lá… Para piorar, você vai se submeter a um horário que muito provavelmente não será o melhor para você nem para a sua aprendizagem.

É claro que existem situações em que precisamos de um diploma, outras em que o contato com profissionais experientes é fundamental para aprender certos detalhes mais sutis.

E mesmo nesses casos, o autodidatismo pode reduzir o custo da sua educação. Isso porque você vai reduzir muitíssimo a probabilidade de reprovação, de atrasar a sua formatura, ou a necessidade de pagar vários cursos de especialização depois de formado para se manter atualizado.

Se somar toda a economia que você fará durante sua vida inteira só por ter mais independência para aprender do que a maioria das pessoas, vai perceber que é muito dinheiro que você deixará de gastar ao longo do caminho.

disciplina karateca

Praticando a disciplina

Outro benefício muito interessante de se tornar mais autodidata é o exercício da disciplina.

Enquanto existir alguém tomando as decisões para você, seja dos horários que vai estudar, de qual livro ler, qual capítulo abordar, você não estará exercitando o músculo da disciplina. E este é um “músculo” que você precisa fortalecer para tomar decisões e, principalmente, continuar com elas até atingir as suas metas.

No início é normal se sentir um pouco perdido porque geralmente as pessoas são muito acostumadas em serem ‘mandadas’ quando se trata de educação. Mas aos poucos você assume o controle das tarefas e vai ganhando cada vez mais autoconfiança de que é totalmente capaz de atingir qualquer objetivo que você queira.

Notas, diplomas e reconhecimento chegam naturalmente e em grande estilo

Um outro benefício bem interessante, é que os seus resultados oficiais, aqueles que você vai obter nas situações ensino formal e que geram notas, diplomas e outras formas de reconhecimento acadêmico melhoram absurdamente e com um esforço muito menor.

Deixa eu dar um exemplo pessoal:

 Quando eu entrei no doutorado, meus filhos eram pequenos. Estavam na época com 4 anos (eu tenho um casal de gêmeos).

Além de ter os meus pequenos para cuidar, eu era 10 anos mais velha que a idade média dos meus colegas. Ou seja, eu já não tinha a mesma energia física e mental que os demais alunos.

Com tudo isso, eu ainda consegui ser a aluna mais produtiva do laboratório em que trabalhava e ainda acabei ajudando os meus colegas em muitos trabalhos, me tornando co-autora deles.

Isso não aconteceu porque eu era mais inteligente que ninguém ali. Foi muito mais porque eu sabia aprender com autonomia e com uma grande eficiência. Os resultados foram mera consequência disso. 😉

Autoestima elevada: o melhor ‘efeito  colateral’

À medida que você incorpora o hábito de aprender a aprender na sua vida, o que vai acontecer de efeito colateral é uma elevação muito grande da sua autoestima.

E veja bem!

Ter autoestima elevada não é ser ‘metido’ e sim ter uma consciência calma e feliz da sua real competência e do seu valor.

Por que este “milagre” da autoestima acontece?

Ora, uma pessoa que tem disciplina, autonomia, motivação e bons resultados acadêmicos, só pode ter mesmo uma boa autoestima.

E cá entre nós, é muito melhor viver com autoestima lá em cima, concorda comigo? 😉

Além disso, quando você tem a autoestima elevada, você se permite ousar mais, tem vontade e coragem de ir além. Você estabelece metas mais interessantes para a sua vida e acaba alcançando mais.

O caminho das pedras: como aprender a aprender

Até aqui você ficou sabendo sobre os benefícios de aprender a aprender, mas imagino que deva estar se perguntando: e como é que eu faço para conseguir todos esses benefícios?

O que é aprender melhor?

Antes de explicar como usufruir dos benefícios, vamos definir o que realmente é aprender melhor ou como a aprendizagem deve se processar na nossa vida:

  • Aprender melhor é aprender com mais velocidade. Você já sabe que todos os dias consumimos muita informação e  por isso não podemos nos dar ao luxo de demorar demais para aprender um certo conjunto de conhecimentos.
  • Aprender com menos esforço também é muito mais interessante. Vou te contar uma coisa: a verdade é que fazemos muito mais esforço do que o necessário para aprender porque a maneira como somos ensinados na escola ou nas universidades é contrária ao funcionamento natural do nosso cérebro! 😮  E então, quando você aprende a aprender, você aprende a fazer menos esforço para atingir o mesmo resultado, ou até mais.
  • Outro fator importante é que aprender tem que ser uma atividade prazerosa. Mas não quero dizer que é só porque é “bacaninha’’ que você vai se sentir bem aprendendo, é porque aprender é uma coisa que você vai fazer todos os dias da sua vida.

Como eu sempre falo: estamos na era da informação, e novas informações pulam na nossa frente todos os dias, a toda hora, e nós temos que saber lidar com isso. Por isso, se a aprendizagem não for uma prática prazerosa, em algum momento da sua vida você começa simplesmente a fugir do aprendizado e aí vai ficando para trás.

Esse tipo de situação gera novamente a dependência dos outros para aprender… E isso é que tudo o que não queremos!

Depois dtabelao esforço, a recompensa!

Agora que você já sabe como a aprendizagem deveria se processar na sua vida, vamos entender um pouco sobre os resultados desse esforço de aprendizagem:

  • Uma aprendizagem mais aprofunda: ou seja, você não pode ficar conformado em ter uma aprendizagem superficial e rasa como acontece na maioria das situações.
  • Uma aprendizagem mais significativa: porque ficar apenas memorizando coisas que não tem nenhum sentido não resolve em nada a sua vida.
  • A aprendizagem tem que ser mais duradoura: porque não faz sentido você estudar um assunto para daqui a uma semana ter que estudar tudo de novo como se começasse do zero. Essa prática não é eficiente e nem vai trazer prazer a sua vida de estudante.

Depois que definimos o que é aprender melhor, vou te mostrar o caminho para chegar lá!

Como aprender melhor?

Bom, delimitamos o que é aprender melhor e quais sãos os benefícios dessa aprendizagem. Agora é hora de saber como fazer uma aprendizagem melhor. Eu já adianto para você que são basicamente duas etapas: conhecer e aplicar.

1ª etapa: CONHECER 

  1. conhecer as técnicas
  2. conhecer o seu lado comportamental que afeta o processo de aprendizagem
  3. conhecer métodos para os seus problemas específicos

1. Você vai precisar encontrar as técnicas. Na escola ninguém te contou, ou vai te contar, que existem técnicas diferentes do que se usa por lá. E o que é chamado de técnica na escola muitas vezes é praticamente fazer o estudante aprender por instinto e na força bruta. 

A sua primeira descoberta nesse caminho para aprender melhor são as técnicas de aprendizagem. E quando encontrá-las você vai descobrir que existem técnicas para:

  • ler melhor e mais rápido
  • memorizar de uma forma mais eficiente
  • fazer as suas anotações se tornarem mais úteis do que se você anotar da maneira tradicional que você tem utilizando nos seus estudos e na escola
  • outras técnicas auxiliam você a se expressar bem oralmente, para fazer uma boa apresentação de um trabalho
  • escrever melhor e se dar bem em provas dissertativas
  • aprimorar o raciocínio.

E não se espante: nem tudo são técnicas! 😮03c76324

2. O lado comportamental afeta diretamente a sua capacidade de aprendizagem. E o comportamento pode ser dividido em alguns aspectos:

  • O primeiro aspecto a ser considerado é a concentração. A concentração é uma das coisas mais bem estabelecidas pela neurociência. E não tem segredo: se você não se concentrar e não prestar atenção no que está estudando, você não vai aprender. E aí o assunto passa batido e amanhã ele vai se apresentar como se fosse inteiramente novo para você.
  • Segundo aspecto que vamos considerar no lado comportamental é a questão dos hábitos. Você precisa criar hábitos para usar as técnicas que você aprendeu: de anotar da maneira correta, de ler da maneira correta e de parar para memorizar do jeito certo.
  • A sua motivação é outro aspecto importante sobre o comportamento na aprendizagem. Você precisa encontrar e saber sustentar a sua motivação. Por que se você deixar a sua motivação em baixa, então vai ficando para trás e quando percebe que ficou para trás resolve pagar mais um curso porque ‘sozinho não consigo dar conta’.  
  • E o quarto aspecto comportamental, que na prática deve vir à frente dos outros, é a organização do seu tempo de estudo. Sem organização você não vai conseguir criar hábitos, você vai se desmotivar porque não obtém resultados, você não consegue aprender técnicas de aprendizagem porque não segue a rotina de praticar essas técnicas… Então, a organização é base de todo o resto. Sem organização não há resultado.

Se você entende e concorda com o papel da organização na aprendizagem, veja esta apresentação exclusiva e descubra em 5 passos simples como fazer um plano de estudos que funciona de verdade!

3. Outra situação que você precisa conhecer para então resolver são os seus problemas específicos. Por exemplo: como lidar com matérias ou assuntos que são naturalmente complexos?

Tem os assuntos que são complexos, porque envolvem muitos conhecimentos juntos, ou porque o raciocínio é muito elaborado ou porque exigem um conhecimento prévio muito profundo sobre o tema.

Perceba que essa situação é diferente daquela matéria que nem é tão complicada assim, mas que para você especificamente ela se torna difícil porque está faltando a base. Nessas situações de nada adianta ficar reclamando da escola, da falta de base em matemática, interpretação de texto, etc. Você precisa entender que esse é o seu desafio e ir atrás de técnica, uma maneira de resolvê-lo. 

Fique calmo e não pense que tudo se resolve do dia para a noite porque não é tão rápido assim. Mas se você se organizar, separar os materiais e estudar todos os dias um pouco, vai acabar resolvendo toda essa questão de falta de base de uma vez por todas. Tanto da matéria mais complexa, que você precisa estudar de uma maneira diferenciada, quanto naquele assunto que faltou base e aí você corre atrás de estudar para criar a base no assunto. 

Um outro problema super comum de falta de base, e que pode ser resolvido de maneira autônoma, é aquela pessoa que tem vocabulário empobrecido.

Ela passou a vida inteira com pouco hábito de leitura e descobriu que quer ser uma pessoa estudiosa. Essa pessoa passou no vestibular e entrou para a faculdade, se animou, se motivou, mas esbarra na falta de vocabulário. Esse é um problema específico, super comum e que tem maneiras rápidas para resolver ao invés de simplesmente esperar que o vocabulário se construa na sua mente de forma mais natural.

Até aqui foi a etapa de conhecer as técnicas, o lado comportamental e os problemas específicos. Isso é muito interessante e fascinante pelas possibilidades que todas essas técnicas trazem e que são novidade para a maioria das pessoas.

Agora vem a segunda etapa rumo ao autodidatismo, à aprendizagem com autonomia!

2ª etapa: APLICAR

Agorgaroto-estudante-porta abertaa é o outro lado da moeda: a aplicação desse conhecimento novo na sua vida. Aqui você precisa tomar um cuidado.

Perceba que são vários aspectos envolvidos no processo do aprender a aprender e que, até por ser um processo, essa situação não vai mudar de uma hora para a outra.

Você vai precisar aplicar as técnicas de maneira gradual. Você pode, por exemplo, escolher uma técnica que você acredita que vai fazer diferença imediata na sua vida e aplicar por 20 ou 30 dias. Depois desse período, você escolhe outra técnica para incorporar na sua vida e faz isso de forma constante.

Veja essa conta: se você aplicar uma nova técnica nos seus estudos a cada mês, ao final de um ano estará utilizando o total de 12 técnicas de estudo que a maioria das pessoas sequer sabe que existem. Isso não muda só a forma de estudar, muda a sua vida!

Por onde começar?

Quer uma indicação por onde começar no meio de tantas possibilidades?

Sugiro que inicie por aprender a se organizar. Mas a se organizar do jeito certo, respeitando os seus limites para não se sentir engessado nem desistir 10 dias depois porque não funcionou na sua vida.

Se quiser conhecer um pouco mais sobre planejamento de estudosacesse esta apresentação onde eu mostro 5 passos simples como fazer um plano de estudos que funciona de verdade. Esse é um material diferenciado e para ter acesso a ele você vai ter que cadastrar seu e-mail. É bem tranquilo, basta confirmar o cadastro no seu e-mail e logo em seguida já terá acesso direto a apresentação. 😉

Se você preferir, participe e responda aí embaixo nos comentários: qual desses benefícios você gostaria de incorporar na sua vida?

  • Definir o seu ritmo?
  • Aumentar a sua motivação?
  • Reduzir o custo da sua educação?
  • Melhorar sua disciplina?
  • Seus resultados nos sistemas oficiais de ensino?
  • Melhorar sua autoestima?

Qual deles é mais importante para você? Espero sua resposta! 😀

8 Comentários


    1. Não entendi a sua questão, Henrique. O Treinamento AM³ neste momento está fechado, ok? Cadastre-se na nossa lista, em qualquer formulário do blog que vc vai ficar sabendo da próxima turma. 😉

      Responder

  1. Ana, excelente vídeo! Tudo que preciso!
    Os benefícios que mais me chamaram a atenção foram a busca da motivação e a disciplina!
    Gostaria de ter o mapa mental desse vídeo, é possível?
    Grato.

    Responder

    1. Olá, Romero. Que bom que gostou do vídeo. A Ana está de férias agora, quando retornar vejo com ela essa possibilidade.

      Responder

  2. Ana,

    Estou querendo fazer o concurso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, mas, sempre sinto dificuldade de estudar para concursos!… Embora seja educadora, sou indiciplinada, desorganizada e muito esquecida entre outras limitações. Te pergunto, qual dos seus cursos poderia me ajudar a estudar nesta situação? Embora a prova, para este concurso, esteja marcada já para dezembro, fiquei animada por ser específico da minha área. Me encontro com o edital na mão, sem saber por onde começar a organizar o conteúdo para iniciar a jornada!…
    Acompanho seu trabalho desde o ano passado, porém não sei qual curso adquirir! Principalmente por ver os vídeos, não decidir na hora, ver outros e mais uma centena de informações… Quando vou atrás, ou apaguei a centena de emails diarios e o seu foi junto, ou não encontro a divulgação dos cursos no blog nem no youtube por esquecer os nome dos cursos. Faço também uma confusão danada entre os vídeos de orientação e os de divulgação!.. Conto com a sua preciosa orientação, para estudar para concursos. Aguardo contato. Boa noite!

    Responder

    1. Rejane, primeiramente, é bom que você tenha bons materiais e ir encontrando neles o que está sendo pedido no edital. Depois disso, para o estudo em si seria melhor que utilizasse técnicas de aprendizagem, pois ajudam na sua memorização. O mais indicado é o Treinamento AM3, pois é voltado para a aprendizagem através dos mapas mentais, que irá trabalhar todas as fases da aprendizagem. Entretanto não é uma pílula milagrosa que do dia pra noite você já vai conseguir memorizar tudo e vai perfeitamente bem no concurso. O estudo para concurso já exige meses de preparação, e o estudo através dos mapas exige uma adaptação. Teremos uma nova turma iniciando esta semana, sugiro que assista aos vídeos do minicurso gratuito que ficará disponível somente até hoje (03/10). http://www.maisaprendizagem.com.br/minicurso-setembro-2016/

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *