Aprender a aprender: o jeito inteligente de ter uma boa educação com baixo custo


Gráfico do Aumento nos custos da educação superiorVários estudos americanos como o da figura ao lado vem mostrando que o custo da educação superior nos últimos anos subiu mais que todos os índices de inflação que você puder imaginar.

No entanto, no mesmo período, o valor “real” de um diploma no mercado de trabalho caiu drasticamente…

Afinal, aquele tempo em que ter um diploma de nível superior garantia bons empregos com excelentes salários já não existe mais. Hoje em dia ser graduado ou pós graduado não garante nem mesmo que você vai conseguir um emprego! 😮

Será que tem saída para isso?

Acompanhe a videoaula abaixo em que eu falo sobre este e outros dois paradoxos da educação atual, além de dar algumas sacadas sobre como aprender a aprender pode ser o jeito mais inteligente de você conseguir uma boa educação com um custo muito mais baixo.

No vídeo vamos tentar entender algumas coisas:

A educação formal e seus paradoxos

Como aprender a aprender?

Os sistemas formais de ensino do mundo inteiro são cheios de contradições. Neste artigo vamos discutir 3 paradoxos que estão, cada vez mais, inviabilizando a forma como se ensina e aprende ainda hoje nas escolas e nas universidades do mundo todo. 

Quanto vale um diploma universitário?

O primeiro paradoxo nós já apresentamos na introdução do artigo:

A educação formal está ficando cada vez mais cara e os diplomas obtidos tem cada vez menos valor de mercado.

Para você ter uma ideia, deixa eu contar uma história que se passou comigo na adolescência ainda:

 Uma tia minha muito próxima queria me incentivar a fazer Odontologia. E uma das formas que ela pensou que despertaria em mim essa vontade foi me mostrar a condição de vida de um dentista conhecido nosso. Ela me levou até a casa desse dentista. E, eu confesso que a casa era realmente impressionante, espetacular.  Quando saímos dessa casa minha tia falou assim: “ Tá vendo? Se você fizer odonto, um dia terá uma casa como essa!”

É claro que ela não estava mentindo. Naquela época, isso era verdade! Uma pessoa que tivesse um diploma de nível superior, tinha a garantia de uma vida muito confortável.

Mas eu sempre fui meio rebelde e acabei não fazendo odonto. Mas, fiz graduação, mestrado e doutorado, e até hoje eu não tenho uma casa igual aquela. Não tenho do que reclamar, a minha vida é confortável, só contei essa história para ilustrar que hoje em dia o diploma de nível superior não garante que você esteja empregado e muito menos que tenha uma renda alta e um padrão de vida alto.


Diante desta realidade complicada, naqueles países em que a educação superior é praticamente toda paga já começaram a surgir alguns movimentos e discussões em que os jovens estão começando a se perguntar:

“Será que fazer ensino superior, investir tanto tempo, esforço e dinheiro para fazer uma faculdade ainda vale a pena?”

De certa maneira, é bastante surpreendente pensar que a juventude esteja fazendo esse questionamento quando estamos vivendo em plena sociedade do conhecimento.

Mesmo assim, esta é uma pergunta válida considerando a situação em que estamos vivendo.

Bem, se você quer saber, na minha opinião, educação sempre vale a pena!

Só que tem um porém…

Investir seu dinheiro, tempo e esforço em uma faculdade, em uma pós-graduação ou em qualquer outro curso só valerá mesmo a pena se você tiver disposição para ir além da busca do diploma.

Se você está indo para a faculdade em “modo zumbi” e fazendo “qualquer negócio” para passar sem se preocupar se está efetivamente aprendendo o que precisa para exercer BEM a sua profissão, então eu sinto muito informar: o seu diploma só servirá para pendurar na parede…

Uma situação que comprova isso é quando encontrei uma ex-aluna do curso de Ciência da Computação uns dois ou três anos depois que a turma da qual ela fazia parte se formou. Eu  perguntei como estavam os colegas, como ela estava em termos de profissão e a resposta dela foi a seguinte:

“Olha, as pessoas que levavam o curso a sério mesmo estão todas muito bem, mais as que levavam mais ou menos estão desempregadas.”

E essa é a realidade nua e crua. Se você não correr atrás em se tornar realmente bom naquilo que pretende exercer como profissão, simplesmente estará fora do mercado.

No entanto, mesmo quem resolve levar os estudos a sério, acaba esbarrando em um segundo paradoxo:

Conteúdo demais

Sistema de ensino atual: conteúdos demais e aprendizagem de menos…

Nas escolas, universidades, em todos os níveis de ensino e em todos os países do mundo, os alunos estão vivendo a mesma situação: cada vez mais conteúdo é despejado nas suas cabeças sem que ninguém se preocupe em ensiná-los como aprenderão tantos conteúdos.

O resultado disso é que grande maioria dos estudantes que encontramos por aí, mesmo os mais esforçados, não sabem estudar. É bem fácil encontrar um monte de gente fazendo até o doutorado (!) e que ainda não aprendeu a estudar direito…

E para piorar um pouquinho mais o quadro, ainda temos um terceiro paradoxo, e ele vem novamente de pesquisas feitas na área de educação, ele é o seguinte:

CapturarBons professores (quando existem) custam caro!

A maioria das pesquisas mostra que os professores são o principal fator que define a qualidade de um sistema de ensino.

Note bem! Isto não quer dizer que um bom aluno não possa superar um mau professor. Sempre pode!

Mas para o sistema educacional como um todo, a melhor coisa a fazer é investir na qualidade dos professores. Este é comprovadamente o elemento que mais impacta na qualidade global do sistema.

E o grande paradoxo aparece na seguinte situação:

Como em qualquer área profissional, professores realmente bons são raros. E onde eles existem, normalmente eles custam caro, como não poderia deixar de ser.

E não se engane!

Professor ruim não existe só em colégio de periferia, não! Eu estudei em algumas das melhores universidades do país, e posso garantir que a coisa é bem mais séria…

Fiz UFRJ na graduação, mestrado na Universidade Federal Tecnológica do Paraná e o doutorado na UFMG. Todas essas são universidades TOP de linha, tidas como exemplos de Educação Superior de qualidade.

Bem, apesar disso, a minha experiência mostrou que – em média – a proporção de professores que são realmente bons é de um para cada cinco.

Isso mesmo! Para cada 5 matérias que você cursa, só em uma dá para dizer de coração aberto que valeu realmente a pena…

Aprender a aprender: a saída para sobreviver em um sistema educacional tão contraditório

Então, como é que a gente sobrevive em plena era do conhecimento com todos esses paradoxos que o sistema educacional coloca diante de nós?

Como membros da sociedade, temos que aproveitar cada oportunidade que tivermos para apoiar a valorização dos professores e para exigirmos mudanças na estrutura da educação, que simplesmente não funciona mais para as necessidades dos tempos atuais.

Aliás, essa inadequação do sistema de ensino à vida real das pessoas uma das grandes responsáveis pelo alto custo da educação de hoje e também pela absurda falta de eficiência dos sistemas de ensino. Afinal, quantas pessoas saem dele sem saber o que deveria ter aprendido?

individualmente, como fazemos?

Uma coisa que precisamos ter consciência é que nós, que já estamos dentro do sistema atual de ensino, crianças, adolescentes ou até os que já passaram pelo sistema tradicional, ou que já fizeram suas graduações, suas pós-graduações, simplesmente não temos tempo de esperar por uma educação que seja muito diferente daquilo que temos hoje.

Ao mesmo tempo, temos que dar um jeito de acompanhar as mudanças que estão acontecendo nas nossas profissões, em nossos empregos e nas nossas vidas.

Ou seja:

A única saída realmente viável para nós que já estamos “empacados” em um sistema educacional ineficiente e inadequado como o que temos hoje é o autodidatismo.

 

Garoto estudando livroEm outras palavras, precisamos aprimorar cada vez mais a nossa capacidade de aprender coisas novas sem ter que depender alguém ou de um sistema de ensino que nos ofereça condições ideais e bons professores.

Ou seja: a saída deste sufoco todo é aprender a aprender.

“Mas Ana, como é esse negócio de aprender a aprender?”

Bem, acompanha o blog que nos próximos dias, eu vou liberar mais um artigo sobre este fascinante assunto!

Antes disso, me conta lá embaixo nos comentários: 

Que habilidade você acha que precisa aprimorar para que você se torne cada vez mais autodidata e cada vez mais independente na sua aprendizagem?

12 Comentários


  1. Olá Ana ! Meu nome é Erick ! Tenho 20 anos. É com gratidão que agradeço pelas informações que eu encontrei neste blog e os vídeos no youtube.
    De fato, eu, nos últimos anos, tenho me esforçado em me tornar autodidata. Terminei o ensino fundamental e ensino médio. Confesso que existe uma boa quantidade de conhecimento das disciplinas do ensino médio que eu não sei ou que não aprendi de forma correta, o que faz com que eu não tenha uma base boa em alguns aspectos.
    Eu sempre gostei de estudar(principalmente a partir do ensino médio) e por isso ao reconhecer a minha falta de base em vários assuntos das disciplinas do ensino médio, de alguns anos atrás para cá eu estou correndo atrás para ter uma base boa e muito conhecimento das principais disciplinas do ensino médio( Matemática, português e etc).
    Sendo que, eu reconheci também que para fazer isso ou ser bem sucedido em qualquer fase ou etapa nos estudos em qualquer campo de conhecimento, é necessário ser autodidata.
    E olha que já tinha percebido isso antes de saber que existia este blog aqui.
    E a partir de tudo isso eu busquei o que eu poderia fazer para me tornar autodidata e passei a buscar e aplicar algumas dicas, inclusive com resultados benéficos.
    Por um tempo depois acabei encontrando este blog aqui e achei muito benéfico e muito valioso para quem quer se dá bem realmente nos estudos.

    Porém, apesar de eu obter ótimos resultados nos meu esforços para eu ser autodidata, reconheço que preciso melhorar em dois aspectos:
    1º) Saber o que estudar e como organizar as muitas informações de diferentes tipos sobre determinado assunto;

    2º)Ser regular em evitar a procrastinação;

    Abraços,
    Erick

    Responder

    1. Olá, Erick. Que bom que o blog tem te ajudado nessa nova fase de aprendizado. Também temos postagens a respeito da procrastinação, com dicas que poderão te ajudar bastante nessa dificuldade.

      Responder

  2. Ana, bom dia.

    Acompanho seu trabalho pelo youtube a cerca de 1 ano e meio. Seu trabalho nos vídeos é muito bom. Me diz uma coisa: você já ajudou alunos com deficit de atenção a serem eficientes nos estudos?
    O que você, como especialista em aprendizagem, pode dizer a respeito desse tema em específico?

    Sucesso!

    Responder

  3. Disciplina!

    Para colocar o planejamento em prática, é necessário ter disciplina para sentar a bunda na cadeira e estudar a matéria planejada, no momento planejado, pelo período planejado…

    Difícil….
    =/

    Responder

    1. Realmente, Dani, é preciso ter bastante disciplina. Mas com uma boa estratégia de motivação esse processo fica menos custoso. Obrigada por participar!

      Responder

  4. habilidades a serem aprimoradas:

    1 – planejamento do estudo

    2 – por em prática o planejamento, ou seja, não procastinar.

    :-p

    Responder

  5. Acredito que importante para aprender sozinho é saber o que buscar em determinado conteúdo e saber o que fazer com o conhecimento adquirido, como aplicar de forma efetiva e produtiva.

    Responder

    1. Exatamente, Rodrigues. Para ser autodidata é necessário conhecer e por em prática todas as fases da aprendizagem, sem esquecer da avaliação de si mesmo para saber se as fases foram feitas da maneira correta.

      Responder

  6. A habilidade que eu gostaria de desenvolver para me tornar autodidata é a organização correta do estudo e das revisões dos conteúdos. Diante da necessidade de estudar um conteúdo extenso, qual é a melhor forma de organizar os tópicos e as revisões para otimizar o aprendizado?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *