Como aprender mais com menos informação

Você já parou para pensar que informação demais pode gerar aprendizagem de menos?

A incrível sobrecarga de informação a que somos submetidos nos dias atuais podem gerar uma série de obstáculos na aprendizagem. 

Mas não se assuste, no vídeo abaixo eu vou te dar uma série de sacadas para melhorar o seu desempenho mesmo quando você tem que lidar com uma avalanche de informações todos os dias!

Você também vai ver no vídeo:

Gostou da videoaula? Então você também poderá gostar da apresentação:

5 passos para um plano de estudos que funciona de verdade (clique e assista).  

Se preferir, você pode continuar lendo o artigo:

Como o excesso de informações tira a sua concentração

A falta de foco é a primeira consequência gerada pela sobrecarga de informação. Já na década de 60, Herbert Simon dizia:

A riqueza de informação gera pobreza de atenção

Por outro lado, o nosso cérebro é faminto por novidades. O problema é que ele não está nem um pouco preparado para a quantidade e o volume de novidades que a gente recebe nos dias atuais. 

O resultado é que a gente fica meio baratinado, quase em desespero, na “urgência” de atender cada notificação do celular ao mesmo tempo que percebe que não consegue focar a atenção em nada nem ser produtivo!

E se tem uma coisa que a neurociência tem certeza, e que para aprender, a atenção é fundamental…

A ansiedade de aprender rápido pode paralisar você 

Moça com Sobrecarga de InformaçãoOutra questão importante é que esse monte de informações novas pipocando e disputando a atenção do nosso cérebro, gera uma enorme ansiedade. E este é outro fator que comprovadamente derruba bastante o desempenho cognitivo.

Ou seja, mesmo que você se esforce para continuar estudando apesar da ansiedade, o seu desempenho no estudo não vai ser o ideal se você estiver angustiado demais só de pensar na pilha de coisas que você vai ter que ler ou estudar. 

Paralisia da análise e perfeccionismo

Uma das piores consequências da sobrecarga de informação é o que a gente chama de paralisia da análise. Esse termo em inglês fica bem mais bonitinho, é analysis paralysis. 😉

A paralisia da análise acontece naquele momento em que você tem tantas decisões a tomar, tantas tarefas a cumprir que você acaba paralisado e não consegue sequer dar um passo a frente.

Quando se tem excesso de opções, você corre o risco de ficar parado pensando: qual será o melhor livro? Qual a melhor apostila? Qual será o melhor professor? Vou estudar online ou offline?  Vou estudar pelo celular? Vou estudar em que horário?

No final das contas, você fica ruminando sobre todas as alternativas disponíveis e não age; essa é a paralisia da análise.

Aliás, a paralisia da análise é muito comum em pessoas que se consideram perfeccionistas.

E cuidado!

Muitas vezes esse rótulo de perfeccionista é um escudo usado para esconder algum tipo de medo:

    • medo de tomar uma decisão
    • medo de assumir a responsabilidade por essa decisão
    • medo de como vai ser quando você der o próximo passo.

Analise se você não está escondendo algum destes medos por trás da desculpa do perfeccionismo!

Motivação em queda livre: você não vai querer isso

Com a sobrecarga de informações tirando a sua concentração, deixando você na maior ansiedade e ainda paralisando o seu progresso, as chances de você obter bons resultados vão ficando cada vez menores. E a consequência de se ter resultados ruins por muito tempo é a diminuição da motivação para estudar.

Com a motivação abalada, muitas pessoas acabam desistindo de objetivos importantes para elas, seja tirar boas notas, fazer a faculdade ou prestar um concurso público

Como lidar com a sobrecarga de informações, afinal?

Claro que nem tudo está perdido. Aqui no Mais Aprendizagem a gente não tem o (péssimo) hábito de só apontar os problemas, mas sim de oferecer soluções! 🙂

Vamos ver algumas opções do que é possível fazer para evitar que essa montanha de informações que são despejadas nas nossas cabeças diariamente não atrapalhe tanto assim a nossa aprendizagem!

Dê atenção ao que realmente importa (e elimine o resto)

O primeiro passo para lidar com a sobrecarga de informação é priorizar.

Priorizar significa escolher, definir aquilo que é mais importante e que vai causar maior impacto nos seus resultados.

É preciso também entender e aceitar sem drama que, eventualmente, aquelas coisas que ficam em uma prioridade baixa podem acabar não sendo feitas. E está tudo bem! Afinal, como eu já mostrei matematicamente em outro artigo, ninguém sabe tudo! 😉

Não caia no mito do “bem informado”

Um dos desafios de priorizar é que a gente tem que combater um mito muito forte na nossa sociedade. Este mito é que a gente tem a obrigação de estar “bem informado”. Existe uma grande pressão social para que a gente saiba sobre tudo que acontece a nossa volta, além de todas as novidades relacionadas a nossa área de trabalho, mesmo que esta relação seja distante.

Para escapar desta armadilha, precisamos entender que nem tudo acrescenta valor aos nossos objetivos. Olha só esta história que me aconteceu em um táxi em São Paulo, onde eu estava com mais duas amigas:

O taxista era do tipo falador e começou a puxar o assunto comentando sobre um acidente aéreo que tinha acontecido na época.  E eu, que há muito tempo decidi que notícias diárias não eram a minha prioridade, perguntei ‘inocentemente’:

“Ah, teve um acidente é?”

Para meu espanto, foi uma gritaria geral dentro do carro. “Como? Você não soube do acidente?” E eu expliquei que eu não era muito de assistir o noticiário. Só que a coisa piorou…

Na sequência, eles começaram a falar de um outro acidente aéreo que tinha acontecido algumas semanas antes. Aí eu comecei a ficar confusa com os detalhes e acabei perguntando:

“Ué, mas são dois acidentes?”

Olha, nessa hora o taxista me olhou como se eu tivesse acabado chegar direto de Marte! E é claro que as minhas amigas tiraram o maior sarro de mim. Eu não tive opção e fiquei na minha, deixando elas se divertirem um pouquinho as minhas custas…

Para mim, o episódio do táxi só me estimulou a continuar não assistindo o noticiário…

Afinal de contas, em quê o conhecimento dos mínimos detalhes sobre dois acidentes aéreos que aconteceram do outro lado do mundo iriam de fato mudar a minha vida? Esse é um seu tipo de informação totalmente descartável e sinceramente não combinam com as metas que eu tinha e ainda tenho para mim. 😉

Os seus objetivos de aprendizagem são a sua bússola

Nossas escolhas e prioridades só vão fazer sentido se formos capazes de definir critérios claros para escolher.

E a forma mais efetiva para elencar os critérios que definem o que é ou não prioridade é começar estabelecendo as suas metas. É como na história do gato da Alice, você tem que saber onde quer chegar…

Aliás, metas tem que ser estabelecidas por escrito. Também tem um outro vídeo para você entender todo o poder de escrever as suas metas.

Ajude seu cérebro com o método do agrupamento

Mesmo priorizando e selecionando muito bem aquilo que você vai dar atenção, ainda assim sobra muita informação pra você digerir.

Uma sacada muito legal para reduzir aquela sensação de sufocamento que o excesso de informação traz é você usar o método de agrupamento.

A verdade é que o nosso cérebro só consegue trabalhar com poucos itens de informação de cada vez e se você tiver mais de 7, 8, no máximo 9 coisas na sua a frente você começa a sentir aquela velha sensação de sobrecarga.

Para escapar disso existe um truque genial, que tem tudo a ver com aprendizagem e memorização: você vai pegar toda a informação que você precisa processar e vai dividi-la em categorias.

Por exemplo, você pode pegar todo aquele enorme conteúdo de Química e dividir em três categorias:

  • definições
  • fórmulas
  • exemplos de aplicação

Ou ainda, se você estiver estudando para um concurso, por exemplo, você pode separar em categorias por:

    • leis que envolvem prazos 
    • leis que estão regulamentadas

Estes são exemplos bem genéricos, mas quando você está estudando um assunto específico as categorias começam a aparecer naturalmente.

O método do agrupamento também é uma ótima maneira de facilitar a memorização das informações. Ele pode ser o primeiro  passo antes de aplicar métodos de memorização mais eficientes, como aqueles que eu ensino no meu Curso Memória Total

Agora, atenção ao seguinte!

Se você não está conseguindo enxergar nenhuma categoria, nenhuma maneira interessante de organizar um certo assunto, pode ser que você não esteja entendendo muito bem os conceitos. Você só consegue agrupar quando você tiver algum nível de compreensão daquilo.

 

Ou seja, criar suas próprias categorias é uma excelente maneira de conferir se você está realmente entendendo e também de ajudar a aumentar o seu nível de compreensão do assunto.

E é claro, a categorização é uma ótima maneira de você reduzir a sensação de que tem coisas demais para estudar. Isto porque o invés de enxergar 15, 20, 30 itens diferentes de informação, você vai ver apenas algumas categorias, e com essa quantidade moderada de informações o nosso cérebro consegue lidar muito melhor. 🙂

Estudar também exige moderação

Uma outra estratégia fundamental para evitar a sobrecarga de informação  é saber a hora de parar.  Tem gente que quer revisar o mesmo assunto 30 vezes, 50 vezes até saber cada vírgula no material.

Bem, se você só tem duas ou três páginas de texto para estudar isso pode até ser viável…

Mas se você tiver 15 apostilas de 500 páginas cada uma, um projeto de revisões deste tipo simplesmente não vai funcionar… 

Para aprender a fazer revisões eficientes, que realmente construam uma memória de longo prazo confiável, conheça o Curso Memória Total (você ainda vai ter a chance de interagir comigo AO VIVO toda semana!)

Claro que em cada assunto você precisa avançar o suficiente para dar o próximo passo. Normalmente, os assuntos novos dependem dos anteriores, então algum grau de compreensão é necessário antes de prosseguir. Mas você não precisa saber 100% do assunto atual para conseguir avançar. Se ficar preso nesta ideia, você corre o risco cair novamente em algum memento de paralisia. 

Sem contar que muitas vezes as dúvidas que temos em um certo ponto são explicadas mais adiante, e nestas idas e vindas entre estudo e revisão as coisas vão naturalmente fazendo cada vez mais sentido.

Automatize a decisão de parar

Tomar decisões o tempo todo sobre se você já estudou o suficiente um determinado assunto para dar o próximo passo pode gerar outra sobrecarga, a sobrecarga de decisão.

Para que esse passo não prejudique seus estudos, uma saída é estabelecer limites bem claros e objetivos. Por exemplo:

    • Pesquisar 3 artigos antes de começar a escrever um trabalho
    • Fazer 4 revisões (espaçadas!) de cada resumo da matéria
    • Estudar problemas de estatística por 2 horas (com pequenas pausas, claro!)

Como usar o tempo de estudo com inteligência

E agora vamos falar sobre como usar o tempo que você tem para estudar de uma maneira mais inteligente. Para isso, você precisa encontrar maneiras para que o tempo que gasta estudando seja gasto de uma forma eficiente.

E o caminho para a eficiência nos estudos são as técnicas de aprendizagem. Mas não aquelas que você usou na escola!

A escola tradicional não ensina técnicas de estudo. Ela “joga” o conteúdo em cima do aluno e “esquece” de mostrar como é que ele faz para digerir tudo aquilo. 

Com raríssimas exceções, você só vai descobrir as melhores técnicas fora da escola. Bem, isso mais ou menos o que você está fazendo agora, lendo esse texto aqui do nosso blog. 😉

Planejamento dos estudos: a verdadeira razão porque ele é tão importante

Além de conhecer técnicas que façam o seu estudo render para aprender mais coisas em menos tempo, uma outra coisa fundamental para usar bem o seu tempo é planejar como você vai estudar.

A maioria das pessoas quando senta para estudar começa a pensar: “Bem, o que é mesmo que eu vou fazer agora? Vou estudar história ou vou fazer exercícios de estatística? Vou revisar a matéria X ou eu vou estudar o assunto novo da matéria Y?

Este tempo gasto em pensar o que fazer a seguir é um tempo precioso. Não só pelo tempo em si, mas também pelo gasto de energia mental necessário para tomar decisões a cada instante (lembra da sobrecarga de decisão acima?)

No entanto, quando você tem um plano de estudos, a próxima ação é decidida automaticamente, sem que você precise pensar. Ou seja, toda vez que você sentar para estudar, você já sabe exatamente o que você tem que fazer e vai direto ao ponto. 

Se você quer saber como se faz um bom planejamento de estudos, veja a apresentação:

5 passos para um plano de estudos que funciona de verdade!

Agora é a sua vez!

Qual das sacadas deste artigo você acha que mais pode ajudar você a reduzir a sobrecarga de informação na sua vida, e também a melhorar o seu desempenho nos estudos?

  • É a decisão de priorizar aquilo que você vai ou não consumir em termos de informação?
  • É o agrupamento das informações em categorias significativas?
  • É a capacidade de saber a hora de parar de estudar alguma coisa e partir para a próxima?
  • É a aplicação de técnicas de estudo mais eficientes?
  • E a capacidade de fazer e seguir um plano de estudos

Role a tela e conte lá nos comentários!

21 Comentários


  1. Olá Ana Lopes, esse artigo é extremamente rico em conteúdos. Realmente funciona essa técnica de estudo, priorizar o que é importante será de fundamental importância para a aprendizagem.
    A sobrecarga da informação nos deixam totalmente perdidos e sem saber em qual coisa priorizar, e na questão de ler 3 ou 4 artigos sobre os mesmos tópicos de assunto, estou fazendo isso e estou tendo grande resultados no aprendizado. Obrigado por compartilhar seus Conhecimentos que não de extremo valor…. Tem acompanho sempre, Sucesso!!!

    Responder

    1. Obrigada pelo feedback, Edson. Que bom que gostou da aula e que está te ajudando a melhorar a sua aprendizagem. Abraço.

      Responder

  2. Olá!
    Ótimo vídeo! Me fez refletir bastante sobre como estou organizando o conteúdo das minhas pesquisas e o tempo empregado diariamente.
    Preciso escrever alguns artigos e gostei da ideia de ler 3 artigos sobre o tema depois começar a escrever. Vou usar isso a partir de agora.
    Abraços! :*

    Responder

    1. Ótimo, Caroline. É sempre bom ajudar com dicas, que bom que elas te ajudaram!

      Responder

  3. Oi, Ana
    Me identifiquei bastante com o tema do vídeo, me sinto exatamente assim,
    perdida diante de tantas decisões relacionadas aos estudos, ainda bem que temos você para nos dar um norte.

    Responder

    1. Olá, Luciana, que bom que gostou do vídeo. Esperamos que possa ajudar na sua jornada.

      Responder

  4. Olá, adoro seus vídeos e o material disponibilizado é excelente!
    É muito difícil ver material com tanta qualidade assim.

    Quanto ao vídeo acima acredito que a melhor estratégia para mim seria
    ter um tempo cronometrado para parar de estudar determinado assunto e passar para o pŕoximo.

    Abços!!

    Responder

    1. É sempre bom ter um quadro de horários, Ariane. Nele você coloca todas as suas atividades, inclusive os horários para alimentação, cuidados pessoais. Desta forma você consegue seguir mais a risca e não se perde nos estudos.

      Responder

  5. OLÁ! Comecei a assistir a pouco tempo seus vídeos e estão me ajudando muito na minha “reaprendizagem” , pois fiquei muito tempo sem estudar a agora estava perdida em tanto conteúdo e informação.
    AGRADEÇO POR FAZER ESTE MARAVILHOSO TRABALHO.
    ABRAÇO

    Responder

    1. Nós que agradecemos pelas palavras, Celita. No blog tem muito mais conteúdo que poderá te ajudar nesse novo começo. Boa sorte no seu objetivo.

      Responder

  6. Excelente vídeo! Todas as “sacadas” são imprescindíveis para combatermos esse excesso de informações. Acho que estabelecer limites e fazer um planejamento seria o ideal pra começar. Muito obrigado pelas dicas! Com seus vídeos ja mudei completamente a minha forma de estudar.

    Responder

    1. Isso mesmo, Márcio. É necessário estabelecer metas iniciais, não adianta começar estudando 10 horas em um dia, tem que ir aos poucos e sempre colocando também o período para descanso. Boa sorte!

      Responder

  7. acho que todos os itens do video são importantes mas estudar em um tempo determinado e com eficiencia que pra mim é mais dificil !

    Responder

    1. Bernardo, tente implantar isto aos poucos na sua rotina, o estudo precisa virar um hábito para só assim ficar no modo automático e você conseguir se manter por um período estudando. Tenho certeza que irá conseguir.

      Responder

  8. Gostei muito das dicas, para mim agrupar, organizar, pré definir o que vai ser estudado e quando parar foram dicas muito boas, obrigado.

    Responder

    1. Que bom que as dicas te ajudaram, Fabiano! Continue firme nos estudos.

      Responder

  9. Gostaria de saber os valores do Curso de Leitura Dinâmica e Memorização.

    Responder

  10. Boa noite Ana, poderia fazer um vídeo (ou escrever aqui mesmo) de técnicas para estudar exatas? Estou tendo problemas para aprender cálculo e estou desesperado. Reprovei 1x e não quero mais passar sufoco.
    Tenha bom final de feriado. Abraços e sucesso

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *