Como tornar-se muito bom, quando você é muito ruim… – Mais Aprendizagem

Pães caseirosEu me deparei hoje com essa foto de alguns pães que eu fiz um dia desses. Pois é, às vezes, além de vídeo aulas, eu também faço arte na cozinha…

E olha, pode ter certeza, eles não ficaram só bonitos, estavam fofinhos e gostosos. 🙂

Tudo isso começou em um curso de culinária vegetariana que fiz há alguns (vários!) anos, e uma das aulas era sobre pães integrais.

Nessa época, ainda estava noiva. Nós nos empolgamos com os pães, e lá fomos nós, cheios de confiança, fazer os tais pães caseiros. Na aula tudo parecia fácil… Mas a verdade é que o primeiro pão que fizemos ficou mais parecido com um…

tijolo…

Sério!! O pobrezinho teve que ir para o lixo, pois não dava nem para cortar… :/

Pode rir, é engraçado hoje. Mas aquele dia foi triste… rsss….

Mas eu sou teimosa por natureza, e parti para o segundo round, que já ficou melhor. Estava longe de ser uma obra-prima da panificação caseira, mas para não desperdiçar, acabamos comendo mesmo assim.

E continuamos fazendo e comendo nossos pães. Principalmente porque gostávamos de pão integral, e eles são mais caros que o pão comum. Como éramos estudantes na época, era uma economia significativa fazermos o pão em casa.

Por um bom tempo não dava para dizer que era um paraíso, mas comíamos pão integral todos os dias. Um luxo!

Com o tempo eu fui acertando a mão e hoje meus pães são famosos. Faço de várias formas e sabores, doces e salgados, com ou sem recheio  e, modéstia a parte, cada um melhor que o outro. Se fico um tempo sem fazer, meus filhos reclamam. Quando faço, devoram quase tudo de uma vez…

Mas o que essa história de pão caseiro está fazendo num blog sobre aprendizagem?

Usei essa lembrança da minha história com os pães para ilustrar que para sermos bons em alguma coisa precisamos ter coragem de sermos ruins nessa coisa, e por um bom tempo.

Ninguém nasce sabendo, pelo menos nada muito útil além de mamar e chorar. Para nos tornarmos realmente bons em alguma coisa, qualquer coisa um pouquinho mais elaborada, é preciso prática e persistência. E principalmente, é preciso coragem para errar feio, e mesmo assim continuar tentando.

Hoje estou enfrentando um desafio parecido com o tênis. Há alguns meses atrás resolvi aprender a jogar. No início, fazia só uns exercícios de controle da bolinha infantil, e tomava uma surra dela.

E não para por aí. Na primeira vez que bati bola no mini-tênis (que usa só uma pequena parte da quadra) passei o dia seguinte de cama, com dores horríveis nas pernas.

Hoje eu já jogo na quadra inteira, e com uma bola decente. Ainda não é a oficial, mas já dá para passar despercebida… A bola infantil é grande e vermelha, um vexame total e público! :p

Há alguns meses participei de um minitorneio para iniciantes, e consegui a incrível colocação de… último lugar. O que não foi nenhuma novidade, porque perco quase todos os jogos que faço em aula…

Uma coisa interessante que percebi, foi que meu professor ficou receoso que me desmotivasse com o tênis após aquele resultado.  Realmente não é nada divertido passar por um fracasso público tão escandaloso, mas enfim…

Não desisti. Ao contrário, voltei de lá obcecada pelo saque, que foi o grande responsável pelo meu “desastre” na competição. E o resultado é que, hoje, mais de 90% dos meus saques entram. Não são saques mortais, mas entram.

O que significa que, agora sim, eu consigo efetivamente jogar, trocar bolas com o adversário, ao invés de matar o jogo na primeira bola.

No resto, ainda jogo mal. Mas raramente erro um saque. Já consigo me divertir com meus amigos nos pequenos jogos que fazemos durante a aula, botar o adversário para correr um pouco e até ganhar uns games de vez em quando!

Enfim, não pretendo ser profissional, não é meu objetivo, mas vou jogar tênis direitinho um dia, tenho certeza disso.

A minha certeza não é mágica nem “pensamento positivo” sem fundamento. Ela vem simplesmente do fato que vou lá toda aula, presto atenção no que estou fazendo, melhoro uma pegada da raquete aqui, uma percepção de bola acolá. E volto pra casa toda feliz porque encontrei uma atividade física que me diverte.

E você, tem alguma coisa que você gostaria de fazer, mas atualmente faz muito mal? Qual o ponto fraco que poderia melhorar bastante o seu desempenho?

Conte aí embaixo seu desafio atual e aproveite para se comprometer publicamente a atuar neste ponto fraco. Comprometimento faz milagres quando o assunto é superar obstáculos!!

61 Comentários


  1. Studante de pós EAD desejo algumas sugestões de como organizar melhor o meu momento de estudo ao qual está todo irregular.Conto com a sua ajuda,grata Adriana

    Responder

  2. Olá, Ana você é sensacional. Sou aluno de história e trouxe muitas coisas que aprendi com seus videos para minha turma na universidade. Acredita que o pessoal não sabia como fazer um mapa mental? Minha dificuldade é a seguinte: não sou muito organizado, muitas vezes perco o foco. Por exemplo, estudo Africa, violão, xadrez, leio algo sobre politica, assisto alguma palestra e assim por diante. Acho que minha mesa de memória fica cheia. Os resultados “burocraticos” demoram a acontecer… mas aprendo muito coisa. Muito obrigado

    Responder

  3. Oii

    Então eu também gosto de estudar, tento me organizar para estudar para concursos, porém ainda um pouco sem jeito para organização. Acredito que eu tenho uma certa dificuldade para apreender ou e falta de concentração de memorização não sei. Um dos meus defeitos que preciso melhorar urgentemente e a auto confiança, não confia em mim, tenho muito medo de estudar, estudar e morre na praia. Mas estou na batalha para um cargo público, e sempre treino a minha mente para não me desmotivar nas primeiras reprovaçõe

    Ana adoro teus ensinamentos ,
    Beijos

    Responder

  4. Eu sou muito desorganizada. Amo estudar, mas minha desorganização me atrapalha. Perco horas a fio arrumando e desarrumando e arrumando de novo.
    Tenho vergonha disso. Meus amigos nem sonham. Mas já perdi grandes trabalhos por conta de desorganização pessoal. Estou, literalmente, começando do zero. Estou fazendo exercícios físicos regularmente. Estudo todos os dias… como já expliquei, nem sempre consigo me organizar para que seja produtivo, mas estudo. Fico me perguntando como passei no vestibular. Sou estudiosa, mas minha cabeça é uma zona.

    Responder

    1. Menina, eu ri a bessa com seu comentário. Vc é linda, rs. Partindo do principio de que abriu seu coração de forma tão transparente, admite o que admite, vc é linda, e tem potencial pra ir muuuuito longe, pq é verdadeira e claramente mostra interesse em melhorar. Avante Debora!!! A Ana é muito querida, nos dá ensinamentos maravilhosos, e como ela mesma diz pq sabe o que diz por experiência própria, basta disciplina e treino. Te desejo tuuuuudo de excelente!!!

      Responder

    1. 🙁 Este problema tem hora e data pra acabar!!! A Ana está a nos ajudar:-)
      Gratidão é o que há em meu coração por pessoas como ela e outros que conheço e que tem me ajudado. Agora, efetivamente conseguiremos resultados expressivos SE colocarmos em prática o que eles nos ensinam, e isto honrará o tempo e carinho com que investem em nosso benefício. Grande abraço Cleu 🙂

      Responder

  5. quero aprender geologia, mais especificamente a ESCREVER, defendi meu mestrado ontem (20 de agosto de 2014) e tenho 90 dias para reestruturar minha dissertação que está errada, como todos os textos que escrevo na minha vida, estou me sentindo “o cocô do cavalo do bandido” e o pior, totalmente perdida. o meu sonho é alguém ler um texto meu e entender.

    Responder

    1. Oi Aline 🙂 Vc conhece uma canção francesa feita pra uma mulher de nome Aline? A letra tem pouco conteúdo, mas a melodia é muito bonita, e ele chama por alguém por quem está muito muito apaixonado. Pois é, lembrei da canção e quis compartilhar com vc. Aline, quer saber o que penso dessa situação? Seguinte, eu sei que é fácil falar qdo se está de fora, mas; eu consigo me imaginar em seu lugar, chegar no ponto que chegou e agora se depara com essa dificuldade (que já era conhecida), deve mesmo dar uma sensação mais pesada de exaustão. Porém; temos estratégias pra sacudir a poeira e dar a volta por cima. Tenho certeza de que se vc esforçada, interessada, disposta a vencer como é, triunfará sobre esse problema. Aprender a usar as ferramentas dará a cada um de nós a vitória almejada. Please, dê noticias, vou amar festejar seu sonho realizado. Com grande ternura,

      Moá, rs.

      Responder

  6. Ai, Ana, esse ano resolvi aprender a nadar. Estou há um mês e pouquinho e quase desisti, A cada aula que faço digo pra mim mesma que não vou voltar, que aquela foi a última e que na hora de renovar não vou fazer mais. É muito complicado. Muita informação. Se presto atenção na braçada esqueço da respiração,. Quando presto atenção na respiração esqueço da pernada. Está difícil, ainda não desisti, mas depois desse incentivo vou tentar mais um mês. Valeu.

    Responder

    1. Soniaaaaaaaaaaaaaaaaa…

      Querida, se vc gosta meeeesssmo de nadar, então VÁ em frente. Um mês e pouquinho ainda é muito poucp. Vc leu a história dos pães que a Ana contou pra gente? E a do tênis? Então!!! Jamais permita que qq coisa tire seu foco. Tenho certeza de que existem estratégias para ajudar vc. Pesquise. Até breve amiga peixe, rs.

      🙂

      Responder

  7. Olha, a gente nasce sem saber nada, com o tempo e dedicação todos nos podemos evoluir.

    Responder

    1. Hildo, a gente já nasce com algumas estruturas mentais que ao longo do nosso crescimento irá nos proporcionar suporte para irmos mais e mais longe no nosso conhecimento das coisas.
      Att.

      Responder

      1. Ana…
        Quanta gratidão tenho em meu coração por ter contato com gente como vc!!!
        Grande , mega master blaster hiper uktra abração!!!

        🙂

        Responder

    2. Muuuuito bem, adoro ouvir gente como vc! Tempo e dedicação!!!
      Grande abraço!!!

      🙂

      Responder

  8. Boa noite ! Meu maior problema é o telefone ,fico totalmente desconcentrada . e não consigo estudar
    mas sei que é muito importante !! e quero e preciso passar para uma universidade , estou totalmente desesperada. porque nem a minha área que é exatas estou conseguindo dominar e a redação é meu maior pesado , me ajuda!

    Responder

  9. Meu objetivo é me tornar muito boa em exatas. Atualmente eu sou muito ruim e já fiquei muito deprimida por isso, eu era a pior entre as meninas da minha sala e talvez até da sala inteira. Porém agora tenho um sonho de fazer faculdade em um curso de exatas e quero tirar ótimas notas :).

    Responder

  10. Ana,
    Uma coisa que preciso aprender é melhorar o meu poder de concentração, pois sinto que isso afeta o meu desempenho, tanto no lado pessoal, como no profissional.

    Responder

    1. Milly, é bem provável que você seja boa em alguma coisa…
      O que pode está acontecendo é que você não está conseguindo ver.
      Uma ideia seria você começar a pensar, a refletir sobre as coisas que você tem feito, realizado…fazer isso várias vezes…pensar no que você fez e tentar ver quais foram as limitações e as facilidades…
      A partir deste exercício você poderá muito bem verificar o quanto você é capaz….
      Att.

      Responder

  11. Meu sonho no momento é ter a receita desse pão integral, pois adoro cozinhar e fiquei babando por esse pão!!

    Responder

    1. Rindo muito!! Fiquei com vontade. Consigo me livrar da gordura, do doce… mas pão é meu vício.

      Responder

  12. Meu dasafio hoje é passar no concurso do TRT. Porém, trabalho oito horas todos os dias, sou casada e tenho minha vidinha para cuidar(Filha) e o pior, pouco dinheiro para envestir em estudos. Tenho sonho de iniciar uma de suas técnicas e as tecnicas de leitura dinâmica talvez ´caberá em meu bolso a partir de novembro.

    Responder

  13. Olá! ^^’
    Estou terminando o ensino médio e quero entrar na USP no curso de música, mas para isso preciso passar pela prova de habilidades… Habilidades que não tenho no momento ._.
    Espero algum dia fazer música assim como você faz seus pãezinhos rs’

    Responder

  14. Boa tarde! Quero ser programador, estou ainda no inicio aprendendo os fundamentos, a base para desenvolver habilidades e se tornar um ótimo profissional. A minha maior dificuldade é em compreender a lógica de programação, essencial para a área, estou me esforçando e já tenho conseguido superar alguns obstáculos. Também o que me atrapalha é a ansiedade, pois quero logo no inicio fazer coisa incríveis, e acabo querendo aprender tudo de uma única vez. Isso faz com que eu não aprenda a fundo e sim superficialmente, dificultando ainda mais o aprendizado ou aprendizagem. Os fatores fundamentais para aprender ago são, persistência, objetivo, prática e amor.

    Responder

  15. Matemática, sou ruim pois tenho pouquíssima base na disciplina, aí sempre me dou mal nos teste, não só em matemática mas na maioria das disciplinas chamadas exatas!!

    Responder

  16. Deveria haver uma nome para esta pratica e fazer dela algo famoso pra ser aplicada em todas as areas.Desde trocar um pneu ate operar um coracao.

    Sempre que alguem se meter a aprender algo novo do zero seja oque for. mesmo sem saber tudo porem apenas com o pouco que se sabe ja use para ensinar alguem que sabe menos do que voce.

    isso eh muito importante pois ambos (quem ensina e quem aprende) estao ainda na mesma fase e o instrutor consegue se por no lugar.aprendiz com mais facilidade e naturalidade.

    Um profissional naquele assunto ja perder a referencia dos niveis dd duvidad e ja nao consegue mais ensinar um aprendiz se colocando no lugar dele.

    Responder

  17. Meu maior sonho é passar em um concursos e ser chamada para trabalha, porque já passei lá no ultimo lugar, agora quero passar e ser chamada. Esse é minha grande dificuldade.

    Responder

  18. Minha dificuldade é de conversar com as pessas tenho medo abrir a boca e falar beateiras mais escuto que falo obsservo e depois esqueco tudo que ouvi..

    Responder

    1. Poisé, eu me tornei assim por notar que sempre falava ou algo equivocado ou constrangedor, então para tentar resolver meu problema resolvi me fechar e pensar antes de falar. Valeu a pena? Não mesmo, perdi minha habilidade de falar bem e articulado e me tornei muito tímido e lerdo. A minha tentativa foi a de pensar antes de falar, escolher a resposta que resultasse precisa e suficiente, sem ferir o meu ego, mas me deparei com uma dificuldade de me expressar e de pensar corretamente por não errar.
      Vivendo em Buenos Aires quando tive que me adaptar ao espanhol, descobri que por mais que eu entendesse e escrevesse em espanhol eu não conseguia falar, quando começava a “hablar” saia um português atropelado, mas com o tempo consegui desenvolver um ótimo castelhano. Foi então que cheguei a conclusão de que para resolver meu problema era enfrentando-o e aprendendo com as caídas, me aperfeiçoando com elas. Iria chegar um determinado momento que seria espontâneo no meu falar, mas antes teria que tropeçar.

      Responder

  19. Sou péssima em matematica e raciocínio lógico e confesso que me sinto frustrada e desanimada.

    Responder

    1. Eu também tinha esse problema com a matemática, mas hoje é minha disciplina favorita.
      Uma dica minha é dominar a matemática básica – e quando falo em dominar, é fluência mesmo.- seja treinando a velocidade nas resoluções de exercícios e problemas nas quatro operações básicas até o bom desenvolvimento na fatoração, mmc, mdc, frações, etc. E sempre buscar responder a pergunta ” Por que isso é assim?”, por exemplo, o número Pi, eu não fazia idéia pra que servia, mas sabia seu valor, então fiz uma pesquisa sobre ele na net para descobrir pra que servia e descobri como achar o comprimento de uma circunferência tendo apenas seu diâmetro, sendo o recíproco válido.
      Recomendo a leitura do Power Memory Math de Robert Abraham, onde ele busca te tornar uma calculadora resumindo toda a matemática nas quatro operações básicas.

      Responder

  20. O MEU DESAFIO É SUPERAR A DIFICULDADE EM COMPREENDER LINGUÍSTICA TEXTUAL. POUCOS APRECIAM ESTA DISCIPLINA DA FACULDADE DE LETRAS. MAS, ELA É FUNDAMENTAL PARA O NOSSO ÊXITO PROFISSIONAL!

    Responder

  21. Muito boa essa analogia, realmente na vida acontece assim, só a persistência, a perseverança faz com que a gente cresça diante das dificuldades.

    Responder

  22. Tenho aprendido muito assistindo seus vídeos e agora lendo seus textos.

    Concluí meu curso de Direito em 2010. Fiz alguns concursos públicos. Aprovado no TJMG para a comarca da minha cidade não fui convocado. Fiquei profundamente chateado e acabei por não me dedicar mais a concursos públicos com o mesmo interesse.

    Tenho lido muitos textos/livros e assistido alguns palestrantes acerca da temática aprendizado, neurociência, PNL e acabei conhecendo o seu trabalho.

    Estou no processo de envolvimento com os meus projetos e sonhos profissionais, familiares e consequentemente materiais. Para tanto comecei por abrir mão, mesmo temporariamente, de certas coisas para poder me dedicar mais a este projeto, tendo em vista possuir pouco tempo. Não é fácil, mas vai valer muito a pena!

    Agradeço sua ajuda, seus vídeos e suas experiências compartilhadas.

    Responder

  23. Sensacional!
    Porque olhando através da tentativa mesmo que frustrada ela gera uma experiência e consequentemente uma lição. Para aqueles que erram uma vez e tomam o erro como aprendizado,esses sim, acumulam muita experiência. Enfim, obrigado pelo material Ana!

    Responder

  24. Motivadora essa história Ana. Obrigado pela força.

    Tem um site que tem essa proposta de topar desafios. Se chama mude.nu

    Aproveito para me comprometer a passar em um concurso publico.

    Responder

  25. Muito interessante… seu comentário me deixou ainda mais angustiada no bom sentido; pois preciso urgente dirigir, devido esta minha deficiência, estou tendo muito prejuízos. Qto ao pão, deu uma enorme vontade de fazer um igual, passa a receita, fiquei curiosa rsrsrs

    Responder

  26. Que determinação hein? Parabéns!
    Se tem uma palavra fundamental pro seu sucesso após ter fracassado e que deve ser mais explorado sempre, é a “motivação”.
    Eu vejo esse post usando o desafio como motivação, e um relato de sucesso após varios fracassos pra mostrar que é possível superar oa obstáculos e chegar lá, usando a paciência, fé e perseverança como ingredientes para o sucesso, e eu amo isso e me identifico 100%.
    Você deveria destacar mais esses elementos motivacionais para ajudar mais e mais pessoas a superar seus limites.

    Parabéns novamente, é sempre um prazer acompanhar seu trabalho 🙂

    Responder

  27. Muito legal, Ana! Adorei! Eu estou no esforço de me tornar uma empreendedora digital e escritora. Não é fácil, mas definitivamente ter uma paixão, algo para acreditar e uma ideia pela qual lutar, nos apoia para chegarmos aonde quisermos. 🙂

    Responder

  28. Valeu Ana, a tua história tão simples do teu dia-a-dia é carregada de vida; uma grande inspiração. Obrigado por compartilha-la.

    Responder

  29. Ana, por um momento fiquei em dúvida sobre qual caso iria contar. Mas foi só por um instante. Resolvi contar uma de que só lembro por ouvir contar, mas que me garante qua ainda vou viver por um bom tempo. Deixe-me contar.
    Tive dificuldade de nascer, e só vim ao mundo com fórceps, pois onde meus pais moravam não havia possibilidade de cesariana. Passei os primeiros seis meses entre convulsões e febres e só sobrevivi pelas promessas que minha mãe fez a vários santos, pedindo a Deus que me levasse logo se eu não fosse me tornar uma pessoa que se destacasse por algo de valor.
    Como ainda não me destaquei o suficiente, e pelo devagar que sou para aprender e para fazer as coisas, devo ter ainda bastante tempo de vida, se devo acreditar nas promessas de mamãe.

    Responder

    1. Bertilo, cada pessoa possui um tempo para que ocorra a retenção da informação é só ter um pouco de paciência ok!
      Att.

      Responder

  30. Que legal, Ana, essa dica sua.
    É encorajadora sua msg. Preciso exercitar muuuito a velocidade da minha leitura. Mas, eu chego lá.

    Responder

  31. Oi Ana, eu ja nao tenho vergonha de errar porque e fazendo algo que eu aprendo as vezes duma forma nao correcta.

    Responder

  32. Amei ana esse seu exemplo, de inicio achei meio extranho, mas foi muiiito legal essa experiencia sua pq muitas vezes ficamos preocupados em nos expor, e perdemos grandes chances de ser bons em algo que qriamos tanto, mas temos medo. Obrigado.. Estou divulgando o AC3 dá uma sacade se for possivel: soorigen.com.br/magica-do-aprender. Seu comentario será uma honra.

    Responder

  33. Gostei muito da sua superação!
    =]
    Comprometo-me a melhorar em raciocínio lógico, vivo levando surra da IADES, kkkk

    Responder

  34. Ana, podemos resumir o sucesso da aprendizagem em “determinação e persistência” – se queremos algo, temos que tentar, temos que exercitar e por último praticar! Uma boa semana pra você. Abs,

    Responder

  35. Bem, Ana ! Já percebi que seus negócios estão nas mãos: computador, pães (o manuseio é essencial), tênis, mapas mentais, e como boa Baiana – a culinária . Ótimo, espero algum dia provar de seu pão !
    Abs.

    Responder

  36. Ana, você está de parabéns, não só pelo texto explicativo de sua conquista no tênis, digo conquista, porque realmente é. Mas por nos dar um exemplo claro de que não podemos ser bom em algo antes de sermos ruins.

    Pois, como você mesmo mencionou, nós não nascemos sabendo muita coisa. E vamos aprendendo e melhorando aos poucos. Até sermos excelente ou não. kkk

    Obrigado por compartilhar esse seu exemplo de superação.

    abç

    José

    Responder

  37. Olá Ana!

    Também preciso encontrar uma atividade física para mim que seja divertida, pois ficar indo na academia não é uma ideia que me agrada muito.

    Sem contar que ao praticarmos uma atividade física ajuda de certa forma a espairecer a cabeça.Temos também a possibilidade de melhoramos nosso aprendizado tanto lendo como ouvindo.

    Abraço!

    Responder

    1. Verdade, Rafael. A atividade física é fundamental para tanta coisa, que só a lista daria um livro. Inclusive para aprender melhor. Algumas permitem que vc escute algo junto, como corrida, por exemplo, mas em tênis, é impossível… Se tirar o olho daquela bolinha uma fração de segundo, já era… aliás, além de divertido, tênis é um excelente exercício de concentração. 😉

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *