MA #26 – Nem só de aquisição vive o aprendiz…

Você já se perguntou porque sai de uma aula e não consegue explicar para um colega o que acabou de ouvir? Ou porque fecha um livro e não lembra praticamente de nada que leu nele?

Então essa vídeo-aula pode ser bem esclarecedora para você…

74 Comentários


  1. Oi, Ana, parabéns pelo site! Você tem me ajudado a descobrir quais erros cometo ao estudar. Desde que eu me formei, dedico-me aos concursos públicos. Durante minha rotina de estudos, na fase de aquisição, eu, basicamente, assisto a aulas e leio livros, resumos e anotações. Até aqui, acho que está de bom tamanho. Já na fase de retenção, cometo o meu maior erro: descobri que, praticamente, PULO essa fase! Antes eu tentava fazer mapas mentais, mas, como eu tenho dificuldade de síntese e acho tudo importante, eles não me ajudam muito. Por conseguinte, acabo tendo dificuldades na fase de excução, na qual eu faço exercícios e simulados. Dessa forma, eu só retenho um pouco da matéria ao fazer uma lista exaustiva de exercícios. Também copio os exercícios que errei em fichas 3×4 e as organizo em blocos para eu ler quando estou no ônibus. Mesmo assim, um mês depois, eu me esqueço da maior parte do assunto e aí, ao refazer a lista de exercícios, meu resultado não melhora muito e eu fico bastante frustrada. Embora eu sempre tenha sido boa aluna e tente aplicar todas as dicas de estudos que aprendi com o meu coach (mapas, fichas e exercícios), acabo me sentindo uma burra, a sensação é de que o espaço da minha memória de trabalho é insuficiente. Isso, somado ao estresse, ansiedade e auto cobrança acaba resultando em enxaqueca e mau humor. Ana, como melhoro a fase de retenção? Obrigada, Abraços.

    Responder

  2. Estou maravilhada com essas video aulas. Estava realmente precisando desse conhecimento para orientarmeus alunos.

    Responder

  3. Oi, Ana!

    Bom ,das três fases da aprendizagem :aquisição, retenção e aplicação, a mais “deficiente” é a de aplicação, principalmente para quem estar na graduação fazendo um curso que exige MUITA leitura, pois somente aplicar o que aprendeu na resolução de questões da prova não basta para que o conhecimento adquirido e retido não seja mais ou tão somente um acúmulo de informações.
    A fase de aquisição e retenção são tranquilas, mas a aplicação do que se aprende é complicada em alguns momentos.
    Por essas e outras razões estou aqui no Mais Aprendizagem; quero buscar meios, ferramentas que me ajudem na aplicação do conhecimento que venho adquirindo ao longo do tempo.

    Obrigada pelos esclarecimentos.

    Abraço.

    Responder

  4. Oi Ana,

    Depois de alguns anos na faculdade, e agora na pós graduação, apanhando do estudo, lutando contra o sentimento de fracasso, me senti motivado a buscar técnicas e adaptá-las ao meu jeito. Eu sempre tive que estudar muito mais que os outros, e não ia tão bem. Lembro que na escola eu sempre era eleito aluno esforçado. Mas caramba!!! Eu estudava hora e horas. ANA! HORAS e HORAS! Muito mais que os alunos que eram melhores. Não era justo. Eu AMO LER. Sabe o que é isso? Eu AMO estudar e não é a toa que estão pensando em fazer um mestrado. Entretanto! As minhas técnicas de estudo ou a FALTA delas me deixam com o pé atrás. Hoje estou buscando aprender mais coisas como a leitura dinâmica, mapa mental, sobrevoo da leitura, foi uma coisa gostosa de mais por que eu fico curioso. E eu sou muito curioso. Praticamente aquela curiosidade de criança. O vídeo foi muito esclarecedor. Se houver alguma recomendação de livro pra fazer que ensine técnicas, algo mais profundo, por favor indique!

    Grande abraço

    Responder

    1. Oi Carlos fico muito feliz que você esteja buscando novas técnicas aqui no Mais Aprendizagem. De vez em quando temos alguns treinamentos mais específicos por aqui. Se inscreva na nossa lista que você vai ficar sabendo das datas, ok!
      Um abraço.

      Responder

  5. Ana, eu faço assim:
    Fase da Aquisição: durante as aulas: faço apontamentos esquemáticos da fala do professor; se ele registrou algo no quadro transcrevo e faço as minhas marcações das explicações. Se foi vídeo, faço resumo e aponto o nome dos personagens e as minhas impressões pessoais; se postou texto antes da aula: faço a leitura de sobrevoo e procuro sentidos e significados de palavras que desconheço ou não tenho certeza …
    Retenção: resumos, esquemas, pesquisa em outros livros e estudo o assunto a partir de outros autores
    Aplicação: faço exercícios, quando o tema permite ou procuro identificar situações problema na qual o conteúdo possa ser aplicado. Às vezes simulo todas as etapas do Método Científico ou seja, faço uma pesquisa e completa inclusive com a produção de artigos…. quando os assuntos me interessa muito …é claro.

    Responder

    1. Nossa Patrícia você deve ser uma excelente estudante, isso ai é uma forma fantástica de estudar.
      Parabéns.

      Responder

  6. Oi Ana,
    Estou utilizando o método MIAR que aprendi com seu vídeo:
    motivação
    informação
    ação
    reflexão

    e uso mais um R, a revisão dos flashcars e mapas q vou elaborando até ficar na memória de longa duração.

    Tudo no mais aprendizagem é massaaaaaaaa

    abs
    Gilson

    Responder

  7. Oi Ana,
    depois de me ferrado na faculdade, tomei a decisão de aprender como aprender corretamente e você esta ajudando muito com os vídeos e dicas, obrigado!

    Outra coisa aproveitando o momento, gostaria de saber se tem alguma técnica ou dica que me ajudaria no aprendizado para aprender programar.

    Responder

    1. Para aprender a programar você precisa fazer muitos exercícios práticos. E importante também que fazer exercícios que você já fez ou já viu o professor fazer.

      Responder

    1. Não conheço essa mesa, João, fica difícil opinar. Em princípio, qualquer mesa digitalizadora dá para fazer mapas mentais. O que pode variar é a qualidade e a durabilidade.

      Responder

    1. Diego, as técnicas de retenção são essencialmente técnicas de memorização.
      Podem ser técnicas clássicas ou técnicas mais modernas.
      Alguns exemplos, são: método do encadeamento, palácio da memória, aprendizagem espaçada e etc…

      Responder

  8. oi Ana, olha a algum tempo atrás comecei a aplicar a técnica de flashcard nos conteúdos mais massivos.

    Ainda uso mapa mental mas apenas quando o conteúdo é em vídeo, por exemplo os videos da faculdade, acho mais dinâmico de anotar.

    Na hora de pegar o livro e entender termos e definições utilizo o flashcard.
    Pra mim tem sido bastante eficiente.

    Responder

  9. Meu processo de aprendizagem consiste numa leitura sobre o assunto. Depois faço resumo através de mapas mentais que aprendi algum tempo atrás e depois procuro treinar os ensinamentos adquiridos através de exercícios e resoluções de questões.
    Parece, a primeira vista, que não preciso de mais nada. Nada disso. Ao tomar conhecimento do site de Maisaprendizagem através do SoS Concuseiro, passei a me interessar pelo método AM3 a fim de melhor meu desempenho nos mapas mentais. Ocorre, que em razão de limitações financeiras, não vou poder fazer,desta vez, o tão almejado e sonhado curso.

    Responder

    1. Oi Rildo o seu método de estudo me parece bem interessante.
      A maioria das pessoas nem método tem e eu espero você na próxima turma do AM3.

      Responder

  10. Bom dia!
    Gostaria de saber como adquirir ou participar deste curso, quanto custa, como faço para acessar.
    Obrigada,
    Beatriz

    Responder

    1. Clique no banner acima da página, Beatriz. No vídeo lá tem todos os dados.

      Responder

  11. Olá Professora Ana!
    Quando estou lendo um livro, pra poder entender, preciso ler em voz alta, mais esqueço muito rápido,
    existe algum exercício para memorizar? Se existe por favor me conte, pois minha memória não grava
    muita as coisas. Muito o brigado!

    Responder

    1. Oi na verdade existem dezenas de técnicas de memorização desde a antiguidade.
      Infelizmente elas não são muito divulgadas.
      Ligue ligado que vão aparecer no blog algumas vídeo-aulas sobre memorização.

      Responder

  12. Eu gravo mais quando escrevo. Adorei o vídeo. Acho q a faculdade cultiva só memória a curto prazo.

    Responder

  13. Eu sempre procuro escrever e falar em voz alto pra menorizar melhor já em sala procuro me concentrar a cada minuda em sala.

    Responder

  14. Ana mais uma vez muito obrigado. Não tenho mecanismo algum. Acontece o que voce acabou de explicar. As pessoas que conheço só tem tempo para beber ou jogar palavras fora; seria muito bom ler um livro e obter alguem para comentar; acredito que seria uma tecnica de compreender melhor o que acabamos de ler. Tenho um metodo para decorar letras de musica; escrevo a letra e coloco no bolso, onde estou fico cantando para mim, se esqueço pego o papel e repito por dez vezes tanto a melodia quanto a letra. Infelizmente é só.

    Grato

    Responder

  15. Boa tarde Ana
    Hoje tenho maturidade para assimilar conteúdo de quando estava na universidade, mas continuo estudando Depois que conheci seus vídeos procuro seguir suas orientações. Você é bem legal para ensinar.

    Responder

  16. Olá professora, isso acontece constantemente comigo!E realmente abaixa a autoestima.Eu tenho procurado ler paulatinamente pra reter melhor o assunto, mas nem sempre obtenho êxito.E tenho muita dificuldade em elaborar redação, demoro demais para introduzir a dissertação.Obrigado pelas dicas.

    Responder

  17. Olá, na fase de aquisição eu costumo ler, estudar, assistir video-aulas e aulas, pesquisar, e eu estudo em um lugar silencioso, iluminado, e estudo preferencialmente de manhã e de tarde, pois eu vi que estudar de manhã e de tarde ajuda a reter mais a informação do que estudar de noite e quando eu estudo eu costumo me desligar de tudo que não tem a ver com o meu estudo, por exemplo o Twitter.E na fase de retenção eu costumo a fazer mapas-mentais e uma coisa que eu tenho feito é fazer mapas-mentais e gravar o conteúdo, porque na minha opinião falar sobre o conteúdo do mapa mental é importante, pois o mapa mental “economiza”palavras.E na fase de aplicação eu aplico em provas, avaliações, trabalhos e conversas.
    Eu quando estudo utilizo uma técnica que eu aprendi em um livro.Essa técnica é a seguinte:Varredura, Leitura Detalhada, Repetição:Digamos que você tenha uma hora para preparar a matéria de uma prova de história que cobre o Capítulo 9.Em vez de passar uma hora lendo o livro e as anotações de aula, experimente este método:
    Varredura(dez minutos).Passe os olhos por alto no Capítulo 9 e escreva ou tome nota mentalmente dos títulos mais importantes, pontos principais, indivíduos relevantes, palavras-chave, perguntas de questionário etc.
    Leitura Detalhada(30 minutos).Leia o Capítulo 9 e as anotações que talvez você tenha feito em sala de aula.
    Repetição(20 minutos).Faça exercícios.Responda ás perguntas do capítulo ou formule outras a partir de suas anotações, palavras do vocabulário e possíveis questões propostas pelo professor.Tente prever o que o professor está buscando e não perca tempo com material que você não precisa saber.

    Responder

  18. Oi Ana,

    Estou estudando English,
    minhas técnicas são
    – ouvir muito,
    – falar sozinho como se fosse falar para alguém (aprendi com você)
    – escrevo tudo que aprendo e com canetas de corres diferentes ( ambas aprendi com você)
    – vejo alguns filmes em English, desenhos, youtubes e sempre anoto algumas coisas, frases que poderei usar no dia-a-dia.

    Também aprendi com seus vídeos a pensar mais em mim, me conhecer.

    Obrigado Ana.

    Luiz Fabiano

    Responder

    1. Oi Luiz me parece um bom conjunto de técnicas para estudar inglês.
      A única coisa que senti falta foi um momento específico para estudar vocabulário. Isso é importante para acelerar o seu aprendizado.
      Mais de resto é isso ai. Continue estudando deste jeito.

      Responder

  19. Olá Ana!!! Desculpe-me pela ausência.

    Bom!!! Na 1ª Fase eu escrevo durante a aula, e como uso um computador, eu sempre utilizo uns PDF’s do mesmo assunto da aula para aumentar a minha aula digitada, depois eu gravo essa aula no meu celular e escuto umas 4 vezes.

    A 2ª Fase, eu tento expandir um pouco mais os conhecimentos adquiridos, lendo ou assistindo outras aulas do mesmo assunto.

    A 3ª Fase, eu aplico nas resoluções de questões. As questões erradas vão fazer aumentar o meu resumo, voltando, assim, para a 1ª Fase, transformando, dessa forma, em um verdadeiro Ciclo de Aprendizagem.

    Responder

    1. Oi Emilson,
      Na primeira fase você está misturando a aquisição que é feita na aula e com materiais adicionais com a retenção que é a parte de ouvir várias vezes já faz parte da retenção.
      Mais o seu ciclo de estudo mostra que você é muito estudioso.

      Responder

  20. Uso a técnica da escrita na primeira fase, ou seja, enquanto o professor explica o conteúdo, estou escrevendo o que entendi. Na segunda e terceira fase estou sempre buscando descobrir novas técnicas.

    Vídeos ótimos!

    Responder

  21. Boa tarde Ana, tudo bem?
    Bom, eu vou contar um pouco das minhas experiência e das minhas frustrações ao tentar ler livros e não entender e depois sentir “burro”.
    Eu comecei a gostar de livros somente depois que terminei o ensino médio, e eu odiava ler justamente porque não entendia o que o autor estava querendo passar de informação sobre o assunto. Ingressei numa faculdade e estou conseguindo me desenvolver e uma das minhas ferramentas é justamente “perguntar”, conversar com o livro e sempre buscar informações fora do livro para adquirir mais e mais informações e leva-las a memória de longo prazo, buscando sempre lembrar informações já adquiridas e até mesmo lembranças como aulas do professor, vídeos da Ana kkk e filmes falando sobre esse determinado assunto e ligando essas ferramentas eu consigo falar sobre o que estou lendo e lembrar onde eu parei consigo até mesmo de lembrar no numero da pagina que parei.

    Obrigado pela atenção

    Responder

    1. Oi Juarez a sua técnica é muito boa.
      Perguntar e fazer associações são fundamentais para você ter uma aprendizagem mais profunda.
      Parabéns!

      Responder

  22. Acredite que para tudo devo levar estas 5 palavrinhas magicas capazes de mudar a vida!! Aula dada, aula estudada hoje!! Professor Pier!!

    Responder

    1. O Prof. Pier é muito legal =)
      As palestras dele que eu assisti no youtube são ótimas 😀

      Responder

  23. Ótimo vídeo Ana.
    Na primeira fase, aquisição, costumo ler ou assistir videoaulas, estas uso principalmente quando é uma matéria nova, isto é, que nunca tive contato antes.

    Na fase de retenção tento fazer mapas mentais, porém o que me deixa extremamente irritado e me sentindo improdutivo, frustrado, é que demoro elaborar os mapas. Quando faço mapas sinto que a retenção é ótima, mas, como dito antes, perco muito tempo. Já se eu não fizer os mapas fico mais produtivo (rápido) mas a retenção diminui significativamente.

    Na terceira fase, basicamente faço exercícios e tento aplicar o conhecimento adquirido em meu dia a dia, por exemplo quando estudo Língua Portuguesa observo melhor como as pessoas falam e escrevem.

    Abraço Ana.

    Responder

    1. Oi João, talvez você esteja escrevendo demais nos seus mapas mentais.
      O ideal é que o seu mapa contenha somente as palavras essenciais no seu assunto. Isso as vezes é 10 % do que está escrito no livro.
      Uma outra coisa legal é fazer os mapas mentais durante aquisição porque você aproveita melhor o tempo e agiliza a sua forma de fazer mapas mentais.

      Responder

  24. Tenho certeza que vc me pesquisou Ana, porque esses exemplos se referem a mim. Apenas faltou um detalhe; não consigo ficar acordado quando tento estudar durante o dia, quatro páginas no máximo até cair no sono, mesmo no local apropriado para estudo.
    Falando sobre as fases…já tentei seguir essa técnica citada pelo Hector. Ajudou um pouco. Fiz apenas uma vez confesso; preciso praticar muito mais. Fico bastante motivado quando vejo todos os seus posts Ana. Vamos em frente. Preciso praticar. Estou começando essa batalha.

    Responder

  25. Olá Ana, tudo bem? Seguinte… me vi por completo nessa sua nova vídeo-aula. Sabe, desde sempre convivo com esse grande problema, essa enorme dificuldade em absorver e/ou aprender coisas simples que acabei de escutar ou de ler. Se você me pedir pra ir em algum loja comprar certos itens, pode ter certeza que vou sair até a porta e voltar pra te perguntar o que tenho que comprar mesmo… E como foi falado, e muito bem falado por você, acaba sendo muito frustrante ao ponto de realmente te colocar pra baixo, te derrubar, acabar com sua auto-estima e te fazer repensar… “É, eu sou mais incapaz do que imaginava”… E essa sensação é horrível, péssima, dolorosa! Falo isso pq convivo com esse problema… É tão ruim que te faz desistir de coisas simples, como uma oportunidade de emprego só por achar que você não vai conseguir aprender, ou mesmo começar um novo curso também só por achar que não vai conseguir aprender… Isso é horrível! E eu tenho muita, mas muita vontade de mudar ou tentar mudar isso, só que não sei por onde começar… ou quem procurar… se é que existe “remédio” pra esse mal. Ana, não existe sensação pior do que você não conseguir explicar pra quem quer que seja, algo que vc acabou de ouvir ou ler naquele mesmo instante… É horrível! É de colocar o ser humano no chão… Será que existe uma forma ou fórmula de driblar esse problema?

    Um grande abraço!

    Responder

    1. Daniel a gente já conseguiu resultados muito bacanas com o método AM3, que é um treinamento que a gente oferece algumas vezes por ano em modo fechado.
      Agora em dezembro nós devemos abrir uma nova turma. Então fica a dica para você ficar ligado no blog para saber quando serão as inscrições.

      Responder

  26. O que mais amo no momento é chegar no meu email e ver que tem novidades nos seus vídeos Ana, não sei explicar fico tão empolgada!!, amei o comentario do Hector, nossa parece Ana que você lê pensamento, esse video foi feito pra mim kkk, bom, uma coisa que eu faço para a 1º fase aquisição é: ao invés só de ler, eu escrevo e leio ao mesmo tempo, pois assim presto atenção aos detalhes na 2º retenção fase estou fazendo algo que vi num vídeo seu, que é gravar uma explicação do que eu escrevi (funciona muito e adddoooro fazer isso, me sinto uma professora) Outra coisa muito legal que faço é fazer uma paródia dos meus cantores preferidos e elaboro uma letra que seja referente á matéria estudada, e canto na maior felicidade e aprendo de montão!! (sair da rotina assim é bom demais). e a 3º fase é elaborar situações no qual eu usaria o que estudei coisa assim eu fixo bastante. Ana o que achou? tá certo?
    Sugestão:
    Vc tem alguma coisa a passar pra gente (Dicas)a respeito de concurso púv
    blico? vc ja passou em algum?
    Beijos, você é minha Heroína kkk

    Responder

    1. Oi Karina parece que você encontrou um método ótimo e ainda por cima divertido de estudar. Gostei muito das suas 3 fases.
      Eu tenho trabalhado com bastante gente que faz concurso público no treinamento AM3 e os resultados deles tem sido bem interessantes. Então fica ligado aí porque a gente está abrindo uma nova turma deste treinamento.

      Responder

  27. Eu tenho muita dificuldade de aprendizado, no momento da aquisição, quando assisto uma aula, acho bem melhor. Inclusive se durante o momento que o professor fala, eu puder fazer anotações da fala dele. No final eu faço uma leitura do que foi dito. O problema é que depois eu esqueço tudo e não lembro mais.

    Responder

    1. Luiza pelo que pude perceber você não tem um problema de aprendizado, você tem um problema de retenção. Isso geralmente as pessoas tem mais por falta de um método de fazer a retenção do que exatamente por falta de capacidade.
      As nossas escolas não ensinam como a gente faz uma retenção eficaz e a gente tem algumas dicas aqui no blog e tal e tem alguns treinamentos que vão mais fundo nisso. Fica de olho no blog que alguma coisa boa vai aparecer para você.

      Responder

  28. Esse sou eu, estudo estudo e na hora da pratica não vai não sai. Não sei por onde ir rs

    Auto-estima minha ta igual carinha do video rs to achando que eu não sei nada, apesar do outros acharem pow você é estudioso sabe muito bla bla já na minha mente não penso assim, as vezes dias de prova, principalmente a minha materia vilã, nossa quando chega o dia mesmo estudando eu não aprendo não consigo entender. Faço outros cursos além da faculdade, e um deles a hora que vou colocar na pratica eu, “como faz isso, como resolve” ai que vem a frustação, penso que não esta valendo de nada os cursos não retenho quase nada, na hora do vamos ver eu não sei como fazer, acho que isso é um pouco por eu ser péssimo em matemática, me prejudica, preciso reciclar, fazer um curso de matematica de pelo menos 6 meses pra ver se vai por que ta feio rsrs.
    Gostei do video, porém não uso nenhum metodo, sou ansioso, sou do tipo que quer resolver tudo fazer tudo e acabo nao fazendo nada.

    Hugs Ana and have a good weekend.

    Responder

    1. Oi Roberson parece que você já fez um diagnóstico interessante onde está o ponto x do problema que é a questão da dificuldade em matemática.
      Não sei se você precisa fazer um curso de matemática , mais talvez você pudesse voltar um pouco atrás do nível que você se encontra hoje e estudar algumas coisas de matemática que talvez façam falta.
      Uma dica para você seria você olhar o material da Khan Academy.

      Responder

      1. Então eu terei que voltar no ensino médio ou antes para poder estudar matemática. Nossa que tragico rsrs venho levando isso até hoje na maior dificuldade, consigo passar mas com muito esforço e nao com notas altas, já em programação eu conseguia entender praticava etc e minhas notas nao eram baixas, dizem que pra ser bom em programação tem que ser bom em matematica. BOm não sei, so sei que vou ver esse site que me passou, obrigado Ana.

        Responder

        1. Roberson, não necessariamente você tem que voltar ao ensino médio porque se o problema está localizado na matemática o mais importante é você entender onde começa o seu problema.
          Isso os vídeos da Academia Khan (https://www.khanacademy.org/), por exemplo, podem ajudar bastante e a partir dali você ir tapando os buracos do seu conhecimento em matemática.

          Responder

  29. Eu acho que a melhor forma de aprender é por aprendizagem espaçada como foi ensinado em um vídeo deste site, mas como atualmente estudo por site de ead estou com dificuldade na última etapa q é mais de prática de exercícios, pois nem sempre temos exercício de acordo com a matéria.
    Este site está cada vez melhor! Que continue assim.

    Responder

  30. legal gostei Ana ( eu sou o cara que te enviou um quadro) uma das técnicas de aprendizagem
    que eu pratico e pensar no que foi lido, recentemente li o livro 1945 (trata da alemanha após a rendição)
    pensar no que as pessoas sofreram , e visualizar o povo andando sem rumo a esmo, como zumbis
    deu-me um dominio sobre o que foi escrito que eu consigo narrar, algumas passagens,relatadas

    Responder

    1. Oi Roberto que bom te vê por aqui. Rapaz eu estou tão sem tempo que não consegui ainda levar o quadro para ser moldurado é por isso que ainda não publiquei a foto que prometi.
      Esta técnica da visualização ela é ótima, porque nós somos melhorar para visualizar do que para pensar de forma abstrata. Então é muito interessante principalmente para romances em que você tem toda uma riqueza de detalhes do ambiente.
      Muito bom!
      Esta foto vai sair, tá bom!!

      Responder

  31. Oi, Ana.
    Aprendi que o pensamento é uma forma ‘dissociada’ de uma emoção. Então, o segredo da aquisição exige lidar com a aceitação da emoção correspondente. Daí a importância de ancorar a explicação a emoções positivas como a alegria da descoberta. O segredo da retenção também está associado à emoção. Por exemplo, a expectativa de como isso funciona (ligado à aplicação, ou imediata ou com o gancho da antecipação). Cfe. processos de memorização e recordação em APRENDIZADO. A aplicação, por isso, não precisa ser uma fase separada, mas pode acompanhar as outras duas, aprofundando-as e ancorando-as.

    Responder

    1. É verdade Bertilo a emoção é fator fundamental na aprendizagem. É uma coisa que está sendo discutida com descoberta muito recentemente e comprovada em pesquisas da neurociência.
      Dependendo da forma quando você conduz uma seção de aprendizagem as 3 coisas podem sim acontecerem juntas, mais a identificação de que existem as 3 fases é interessante para que as pessoas não caiam numa armadilha de acharem que não tem capacidade de aprendizagem.

      Responder

  32. Oi Aninha =]
    Estou estudando para concursos públicos no momento e aprendendo a aprender (muito!) com a sua ajuda, por isso vou tentar colocar de forma direta o que estou fazendo.

    1) Aquisição
    Videoaulas, livros (afinal, quero ser autodidata!)

    2) Retenção
    Mapas mentais (e rever os mapas mentais em um sistema de caixas que aprendi no livro de mapas mentais do Felipe Lima, muito, recomendo!)

    3) Aplicação
    Resolução de exercícios e ver meu aproveitamento

    Acredito que é isso. Não sei se são os melhores, mas com o que tenho estudo é o que esta funcionando para mim.

    Ah e já fiz o mapa mental dessa aula no papel (virou vício já Ana,rs).

    Abração!

    Responder

    1. A sua técnica é muito boa Valter.
      Na fase da aquisição eu faria mapas mentais de uma vez. Para isso você tem que ter um pouco de prática das técnicas para selecionar melhor as palavras-chave.
      De maneira geral você está fazendo um percurso muito produtivo, parabéns.

      Responder

  33. Olá Ana, parabéns por mais um vídeo com conteúdo de qualidade.

    Eu acredito que trabalho bastante as três fases da aprendizagem. Até porque sou apaixonado por aprender e, graças ao mais aprendizagem, sou apaixonado também por aprender a aprender.

    Vamos lá,
    1. Aquisição e 2. Retenção: já tenho anos de prática em aprendizagem então acabo fazendo as duas coisas quase que paralelamente. Quando leio um livro, vejo um vídeo, assisto a uma palestra ou escuto algo interessante faço registros. Sempre estou ou com meu Iphone ou meu Ipad criando mapas mentais ou anotações aleatórias das informações que recebo. Então eu recebo as informações, faço o registro escrito e depois reviso para reforçar os conteúdos registrados. Esses registros são rápidos e práticos, desenvolvidos por palavras-chave. Após isso eu crio arquivos no google docs para trabalhar melhor as ideias. Lá eu aprimoro mais os conteúdos, explicando em detalhes as palavras-chave e acrescentando comentários (minhas opiniões sobre os assuntos tratados). Quando eu leio um livro, o processo é um pouco diferente. Durante a leitura eu já vou grifando o que julgo importante e escrevendo comentários e sínteses dos assuntos. Após isso crio mapas mentais e depois vou para o google docs.
    3. Prática: eu descobri uma máxima, que tenho praticado com freqüência, e que funciona bastante. A máxima é a seguinte: “coloque em prática imediatamente aquilo que você aprendeu”. Tenho conseguido excelentes resultados aplicando essa premissa. Quando eu não consigo aplicar os conhecimentos que adquiro, eu comento com amigos ou familiares sobre eles. Isso também me ajuda bastante porque quem recebe essas informações também pode colocá-las em prática. Além de ser muito satisfatório compartilhar conhecimento!

    Obrigado por compartilhar Ana.
    Abraços,
    Marco Ogê.

    Responder

    1. Seu método é muito eficiente Marco, exceto pela parte em que você anota muito as coisas, pois isto pode atrasar um pouco.
      A parte das anotações é uma parte da aquisição. A retenção ela vai acontecer mais quando você revisa as tuas anotações, mais os teus mapas mentais.
      Eu também gosto muito de mapas mentais.
      Então parabéns ai pela sua técnica.

      Responder

  34. Muito legal esse vídeo. Galera, na fase de aquisição, eu, geralmente, leio e assisto videoaulas, estas utilizo bastante quando é uma matéria nova, que ainda não tive contato antes.

    Na fase de retenção costumo demorar bastante (o que às vezes me deixa irritado), nesta tento fazer mapas mentais e a retenção é ótima (o problema é a demora, como disse antes).

    Aplicação é basicamente muuuuiiiiiittttoooossss exercícios, faço um número considerável de exercícios, mas também tento aplicar no dia a dia. Por exemplo no estudo de Língua Portuguesa passo a observar melhor as pessoas falando e escrevendo e vou identificando erros.

    Responder

    1. João, a fase da retenção está deixando você irritado porque você está deixando de fazer a aquisição, as anotações, o seu mapa mental no momento da retenção.
      Ai você vai perder menos tempo e também você está precisando de técnicas específicas de retenção, porque a maioria das pessoas não conhecem técnicas e ficam querendo memorizar de qualquer maneira, na força bruta e isso não funciona bem.
      Muito boa essa sua ideia de observar o ambiente a sua volta em busca de exemplos daquilo que você está estudando.

      Responder

  35. Na aquisição leitura e ouvir, mesmo… Agora, para reter eu só consigo escrevendo, ou mapa mental ou resumo.

    Sinto que minha maior dificuldade está na aplicação, porque eu até tenho as informações necessárias, mas na hora de ter a habilidade para entender exatamente o que a questão quer e aplicar as informações da maneira esperada para resolver o problema não consigo relacionar as coisas muito bem :////
    Realmente frustrante! Se alguém tiver alguma sugestão…
    :///

    Excelente vídeo , Ana! Obrigada por compartilhar conosco 🙂

    Responder

    1. Uma coisa legal é fazer as anotações, escrever no momento da aquisição mesmo porque ai você já cria uma base para a fase da retenção.
      A fase da aplicação costuma ser mesmo a mais complicada, as vezes você precisa de alguma ajuda de alguém que já passou por aquela prática para dá o ponta pé inicial e depois praticar mesmo bastante.

      Responder

  36. querida Ana, a aula na escola é o suficiente para a primeira fase ou eu tenho que fazer as 3 sozinho?

    Responder

    1. Saulo, se for uma boa aula se você fizer um tipo de anotação suficiente durante a aula. Ela já fornece uma base boa de aquisição e aí você já tem o material pronto para partir para cima da fase que é a retenção.
      A retenção e aplicação dependem mais de você do que da escola a não ser que o seu professor deixe um tempo especifico para aplicação quando ela faz uma aula de exercícios.

      Responder

  37. Muito bom Ana!

    Super me identifiquei com o exemplo do livro.
    Aquisição eu faço na aula ou lendo algo, a retenção para mim que é o complicado, mas, explicar (dar uma aula para eu mesma) me ajuda =)
    O problema que levo muitas horas com isso, às vezes, não dá tempo para revisar para a prova e vou mais com aquilo que está na minha MCP, só daquilo que adquirir na fase da aquisição.
    Mas, quero aprender para saber aplicar o conhecimento e não para tirar só boas notas =/

    Responder

    1. Pois é Luh as notas deveriam ser só um sistema de aprendizagem. Agora no nosso sistema educacional acabaram virando um fim em si mesma, né.
      O ideal é que na aquisição você faça algum tipo de anotação para que você já tenha uma base para fazer a retenção. Em cima desta base você pode, por exemplo, explicar para alguém. Isto é muito eficiente.

      Responder

    2. Se você fizer uma anotação legal só com o essencial talvez você não perder tanto tempo para revisar e para explicar aquele assunto e com isso você consegue melhorar o seu aprendizagem.

      Responder

  38. Para a fase da aquisição, eu geralmente só leio o conteúdo de algum livro didático do assunto ou site sobre o tema. Acho que, por ser a primeira fase, as pessoas geralmente não têm muitos problemas nessa fase.

    Mas para a fase de retenção, acredito que a melhor forma é “externalizar” o que você aprendeu na primeira fase. Por exemplo, se você estuda matemática e só lê um livro dizendo como se faz, isso não quer dizer que você irá conseguir resolver todos os problemas só com isso, certo? Assim como, se você apenas lê um livro de biologia explicando os vários reinos e sub-reinos de seres vivos, isso não garante que você lembrará de todas as definições. Mas se você fizer (escrevendo!) exercícios de matemática, ou fizer um resumo daquilo que você leu no livro, já é uma forma de “externalizar” o que você fez. Você *produziu* um material a partir de algo que você leu antes, e isso funciona muito bem pra reter algo (na minha opinião). Mais um exemplo disso é a clássica divisão do aprendizado de idiomas em 4: Leitura, Habilidades de Escuta, Escrita e Fala. Conheço muitas pessoas que *entendem* muito bem inglês, ou seja, elas são muito boas nas habilidades Leitura e Escuta. Mas se elas não reterem muito bem as regras gramaticais, expressões do idioma, etc, ela provavelmente não será capaz de *produzir* algo em inglês (escrever ou falar). Por isso, escrever e falar em inglês é muito importante para reter conhecimento…. (na minha opinião, claro).

    Já quanto à terceira fase, acho que não existe uma fórmula pronta. A ideia é procurar além – a Internet está aí pra isso! Mesmo num pequeno artigo da Wikipédia você provavelmente achará aplicações práticas do assunto, e você linka para outra página, que linka para outras páginas, e assim, procura algo mais prático sobre o assunto (um programa que utilize aqueles conhecimentos, por exemplo). Acho que a ideia é essa.

    Muito bom o vídeo!

    Responder

    1. Uau, Hector, muito obrigada pela extensa participação! Vamos aguardar o que tem a dizer os demais colegas… 😉

      Responder

    2. Oi, Hector. Achei bem interessante a sua colocação sobre externalizar para reter a informação, através da escrita e da fala. Eu pratico muito a escrita e pouco a fala. Vou procurar fazer mais isso e ver o que acontece. Obrigada.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *