O que é procrastinação, afinal?

Você sabe o que é procrastinação? Sinto te informar, mas certamente você já procrastinou na sua vida, principalmente na hora de estudar. Nesse artigo vou te mostrar como entender e combater essa praga que está presente em nossas vidas.

Definição

A procrastinação é a troca de metas de longo prazo por uma gratificação imediata, ou seja, a famosa enrolação rsrs. E todo mundo sabe que isso não é uma coisa positiva, pois deixamos tudo para última hora e acabamos fazendo um trabalho ou estudo de baixa qualidade. Mas tem alguns comportamentos que você pode desenvolver para combater a procrastinação, além disso, você pode dificultar a gratificação que tira sua atenção do estudo (no final do texto vou te mostrar um método muito curioso que pessoas usaram para combater essa tal de gratificação imediata).

Quais são as causas da procrastinação?

Falta de metas concretas

É importante definir metas mais curtas e com prazos específicos, não adianta você estabelecer uma meta como por exemplo: se formar na faculdade, isso é uma meta muito genérica que você não vai dar muita importância com o passar do tempo.

Falta de Autoconhecimento

Muitas vezes definimos metas, que além de serem genéricas, vimos que não temos tanto interesse em cumprir, por exemplo uma pessoa que está na faculdade de engenharia mas na verdade queria estar cursando direito, ou vice e versa.

Estado emocional diferente

Ok, você definiu sua meta, quer resolver 10 exercícios amanhã mas quando chega a hora…ihhhhh…. você não está mais com vontade de completar essa meta. O que acontece é que somos péssimos em prever nosso comportamento futuro, pelo simples motivo que os estados emocionais que, no caso, definimos as metas é diferente do estado atual.

 

Procrastinação

 

Alguns experimentos sobre procrastinação

Um professor tinha a necessidade de pedir um trabalho para sua turma, então ele propôs três situações:

1- Prazo fixado pelo professor – Alguns alunos deveriam entregar o trabalho no prazo pré estabelecido pelo professor.

2- Auto fixado – O aluno tinha liberdade de fixar um prazo para entrega, mas após esse prazo ser fixado ele deveria ser respeitado.

3- Sem prazo – O aluno podia entregar o trabalho até o último dia de aula.

Qual das turmas você acha que entregou o melhor trabalho?

Se você respondeu a primeira, acertou!

Apesar de não gostarmos do autoritarismo de alguns professores, o professor que foi mais autoritário conseguiu obter um melhor resultado com a sua turma.

O segundo colocado, foi a turma número 2, que se impôs certos prazos. Nessa turma aconteceu algo muito interessante, como cada um era livre para fixar o prazo que quisesse, podiam muito bem escolher o último dia para entregar o trabalho, mas a maioria dos alunos distribuiu a entrega com o prazo parecido que o professor tinha imposto.

A turma número 3 foi a com resultado mais baixo, os alunos procrastinaram e procrastinaram e quando chegou o prazo os alunos entregaram o trabalho feito as pressas, com uma qualidade abaixo do esperado.

Essa experiência é legal, pois mostra que as pessoas tem noção de que precisam de metas/prazos para realizar uma tarefa, mas esses prazos são menos eficientes do que prazos impostos por outras pessoas.

O que falta talvez, é um pouco de autonomia cognitiva que é uma coisa que trabalhamos muito aqui no Mais Aprendizagem, no século que estamos vivendo nós temos que ser capazes de auto gerir nossa aprendizagem, hoje em dia nosso aprendizado tem que estar cada vez mais atualizado e afiado.

Outro experimento curioso…

Lembra que lá no começo eu tinha falado sobre um método curioso para combater a gratificação imediata, pois é, esse experimento foi feito com um copo de gelo, e foi utilizado para reduzir o número de compras que pessoas impulsivas realizavam na internet. A pessoa colocava o cartão de crédito dentro de um copo com água e depois colocava ele no congelador, então quando ela estava na internet e queria comprar alguma coisa, ela tinha que esperar o copo descongelar e com isso pensava duas vezes antes de realizar uma compra.

Como posso controlar minha procrastinação?

Diante desses experimentos, podemos perceber que se temos algumas ferramentas de controle nas nossas mãos nós conseguimos controlar melhor nossa procrastinação, mas isso eu te conto no próximo encontro 😉

Não esqueça de me contar o que você achou sobre esse artigo, sua opinião é muito importante!

 

49 Comentários


  1. Trabalho em uma empresa pública, isso acontece muito no meu setor, inclusive peço permissão para tirar uma cópia desse texto e pregar no quadro de aviso.

    Responder

    1. Oi, Luís, pode tirar cópia sim, desde que mantendo a referência do site para quem quiser entrar, ok?
      Abraço

      Responder

  2. Houve um erro de digitação na tela.
    Procrastinação está escrito Procrastisnação.
    Abraço,

    Responder

    1. Verdade, Rogéria, eu só vi depois do vídeo publicado… uma hora dessa talvez eu regrave. 😉

      Responder

  3. Eu sou ótimo com a procrastinação. rsrs Porém com o autoconhecimento que tenho desenvolvido estou conseguindo burlar esse defeito.

    Sensacional, Ana.
    Obrigado.

    Responder

  4. Poxa vida, Ana! Eu sinceramente não sei como te agradecer! Sei que tem uma segunda parte dessa video aula, mas eu preciso falar desde já. Sofro com a procrastinação desde sempre, e já fui atrás de tantas coisas, tantos textos e blogs para saber o que era, como acabar com ela (hoje sei que não é possível), mas nunca tive uma resposta definitiva, nada como os insights que você deu aqui! Com certeza esse vídeo abriu minha mente nessa questão, e estou ansiosa para ver a continuação!

    Responder

    1. O conhecimento sobre algo nos faz percebê-lo de forma diferente né mesmo, Marilia.
      Abraços, Marcelo.

      Responder

  5. Muito bom, me vi neste texto, eu que sempre faço varias coisas ao mesmo tempo, acabo deixando algo para trás e quando vejo era algo que não podia ter ficado, fico péssima e aí fico implorando por novo tempo para fazer, realmente preciso mudar isso em mim.

    Responder

    1. Adelina, esta ideia de espelhamento em relação alguma coisa…é como a gente visse a nossa própria imagem refletida ali…
      E ai a gente começa a se colocar no lugar e como vc mesma diz de uma espécie de estranhamento de determinadas atitudes…
      Algo interessante a fazer seria começar a questionar estas identificações que estão aflorando e partir para a desconstrução de hábitos antigos e construção de hábitos novos…
      Vale a pena se esforçar para adquirir novas atitudes frente aos nossos projetos de vida.
      Abraços, Marcelo.

      Responder

  6. Gostei muito Ana!!!
    Seus vídeos deveriam ser usados nas escolas , com certeza mudaria muito a aprendizagem neste país !
    Abço

    Responder

    1. Puxa! Que coisa bonita.
      Concordamos plenamente com a sua percepção.
      Obrigado.
      Att.,
      Marcelo.

      Responder

  7. Olá Ana, gostaria de parabenizar sobre o assunto em questão, pois é exatamente isso que acontece comigo, eu tento até a fazer metas para tentar estudar, mas quando chega na hora h, eu fico dispersa com outra coisa. Estou anciosa para receber o email com a continuação de procrastinação.
    Att,
    Marilda

    Responder

  8. Olá Ana. Primeiramente, parabéns pelo trabalho! Realmente, a procrastinação é uma “pedra” no caminho de muito gente. Inclusive do meu! Mas eu tento, de acordo com as suas dicas, tirar essa “pedra” do meu caminho. Eu anoto os meus compromisso em uma agenda e estabeleço como objetivo cumprir todas as tarefas do dia, pois sei que no outro dia haverão outros compromissos. E tudo pode virar uma grande “bola de neve” no final. Mais uma vez parabéns e obrigada:) Sucesso!

    Responder

    1. Obrigado a vc Anna por ilustrar parte de sua rotina diária que está relacionada com o assunto apontado neste post.
      Abraço, Marcelo.

      Responder

  9. Oi Ana, muito boa a abordagem.
    Parabéns!
    Uma coisa: No primeiro slide está Procrastisnação…passou um s na palavra…rsrsrs

    Responder

    1. João, obrigado pela observação.
      Realmente passou um s a mais. A gente só identificou depois que já havia sido publicado.
      Abraço, Marcelo.

      Responder

  10. Boa tarde gente!!

    Ana você vai ser minha salvação,tenho procrastinação desde os 9 ano.

    Responder

    1. Legal o seu interesse…já está quase saindo…espere um pouco mais…
      Abraço, Marcelo.

      Responder

  11. Ana, venho acompanhando seus videos e artigos há algum tempo, mas esta é a primeira vez que envio feedback, pois o problema tematizado tem sido meu “calcanhar de aquires” de longa data. Sou estudante universitário, e a procrastinação tem me acompanhado desde o ginasio, mas parece que estou sofrendo mais agora, na faculdade, do nunca, talvez pela maior carga de responsabilidade. Às vezes, sinto que, quanto mais procrastino, mais me inclino a procrastinar por conta das bolas de neve que vou acumulando ao longo do semestre, o que me desanima e me angustia, porque, de alguma forma, sei que estou prejudicando meu desempenho na faculdade e, por consequencia, meu futuro profissional. Assim, desmotivado por conta do trabalho que deixei de fazer, ou por causa das paginas não lidas no dia anterior, fico irracionalmente estagnado e torno a procrastinar.
    Quero dizer que gostei muito de sua forma de abordar o tema e da dica você deu sobre criar um diario. Estarei ansioso por receber a notificação do proximo video, em minha caixa de e-mail,
    Obrigado pela força!

    Responder

    1. Levi, que ótimo que vc compartilhou a sua opinião sobre o artigo que trata da procrastinação.
      Esta forma de comentário é bem interessante uma vez que vc faz um paralelo entre o conteúdo veiculado com o seu real.
      O real do seu cotidiano, as coisas que causam desânimo e que te conduzem para a desmotivação.
      Observo que a primeira coisa aqui é que vc mapeou com clareza as situações que mais te inquietam/afligem. O primeiro passo seria este – identificar/reconhecer.
      O passo seguinte seria atuar – buscar a autonomia cognitiva.
      Observe que o artigo traz pistas interessantes para se pensar e fazer que seria a definição de metas.
      Abraço, Marcelo.

      Responder

  12. Ana, boa tarde. Gostei muito de suas dicas sobre a leitura. Esta mim ajudando muito, sou grato.

    Responder

    1. Ótimo!!
      Sempre relate para a gente suas impressões…é de grande proveito para todos nós.
      Abraço, Marcelo.

      Responder

  13. Eu tenho esse problema.
    Gosto muito de estudar. Faço planos. Mas não tenho uma metodologia para organizar prazos.
    Quando começo a estudar certa matéria, estou todo entusiasmado. Enxergo onde quero chegar e me sinto super motivado.
    No outro dia, apesar de sentir a vontade de prosseguir o plano de estudo idealizado, não tenho mais o entusiasmo do dia anterior. Parece que perdi o sentido.
    Para não procrastinar e ser fiel e determinado em cumprir um prazo seria a chave para confiar não na minha emoção, mas no que for pré estabelecido.

    Responder

    1. Antonio, é bem isso mesmo….conforme você relata muito bem.
      Abraço, Ana

      Responder

  14. Ana Lopes, durante a minha juventude, confesso que na época dos estudos, procrastinei muito, mas várias vezes, acredito que o desânimo, também tinha ligação, com a má alimentação.

    Era comum, ficar apenas com um cafezinho e um salgado, comendo uma refeição, só quando chegasse a noite em casa. Falo sobre isso, porque sempre vejo pessoas em situação semelhante, principalmente o jovem, que precisa estudar, e muitas vezes ainda não tem ganho suficiente, para se alimentar bem.

    Acredito que, é importante sempre buscar uma boa alimentação, e estar atento para não deixar que “resíduos do desânimo passado”, relacionados com uma fase de má alimentação, possam intervir através de lembranças, e trazer procrastinação.

    Obrigado, pelas dicas, e aguardo a segunda parte.

    Responder

  15. Gostei muito ! Adorei! Não é nada fácil não procrastinar! Quero assistir novamente! Muito obrigada!

    Responder

    1. Marluce, é bom assistir novamente…repetir pode lhe trazer uma reflexão maior da questão em si.
      Abraço, Ana.

      Responder

  16. Ana, esta foi direto pra mim, né?! kkkk. AMO seus e-mails, me ajudam muito.
    Estudo pra concurso, parte jurídica, e no final do mês passado fiz uma prova. Infelizmente não passei mas melhorei bastante em relação ao penúltimo concurso.
    Agora estou aqui, procrastinando para recomeçar a estudar para os outros concursos.
    Quero logo saber que método é esse de parar de “empurrar com a barriga”!! kkkk

    Esse “puxão de orelha” veio na hora certa, obrigada!!!

    Um grande beijo

    Responder

    1. Michele, que bom que este post lhe ajudou a pensar mais sobre essa questão.
      Abraço, Ana.

      Responder

  17. Olha Ana,
    Minha dificuldade não é mais estudar, eu dedico mais de 8 horas diárias, com facilidade. Meu grande desafio é criar metas de longo prazo.
    Qual sua sugestão?
    Abração.

    Responder

    1. Agora o que você deve fazer ao estudar 8 horas diárias, seria fazer o intercalamento entre os assuntos. Por exemplo: estudar por 1 hora um assunto, depois mais 1 hora de estudo com outro assunto diferente do primeiro e assim sucessivamente….
      Além disso, você pode ir criando pequenas metas, por exemplo, neste assunto tal (partindo do geral) a minha meta é entender tal coisa (chegando no específico)…
      Abraço, Ana.

      Responder

  18. Óptimo! artigo Ana demais!

    Realmente para aprendermos mais em pouco tempo temos que eliminar os factores que nos levam a uma zona de conforto ou melhor (procrastinação), que até hoje não sabia que tinha este nome. Então aguardo ansioso pelo próximo artigo Com as dicas para eliminar a procrastinação e turbinar a Aprendizagem. Bom trabalho Ana

    Responder

    1. Arilson, a ideia é ir aos poucos atenuando os efeitos da procrastinação que estão agindo sobre as nossas ações diárias. Pense nisso!!
      Abraço, Ana.

      Responder

  19. Esse negócio de procrastinação é sério. Porém já li em outros artigos onde especialistas dizem que procrastinar não é somente o fato de enrolar. Tem a haver com o medo de não realizar determinadas tarefas, o perfeccionismo e até mesmo na educação doméstica recebida. Alguns pais podem transformar os filhos em procrastinadores. Mas, independente da origem do problema eu assumo que devo policiar-me com rigor sobre este problema e estou tentando aprender o máximo a fim de tirar esse bicho da minha vida.

    Responder

    1. Lourival, é isso mesmo ter uma espécie de auto-vigilância, ficar atento para amenizar os seus efeitos de estagnação sobre a gente…
      Abraço, Ana.

      Responder

  20. Gostei do artigo e acontece isso comigo,seus artigos sao de grande ajuda.Obrigada!

    Responder

    1. Maria, legal que você se percebeu neste post. O primeiro passo foi dado.
      Abraço, Ana.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *