Dicas para escrever melhor – com ajuda do Facebook!

Será que dá para aprender a escrever melhor usando o Facebook?

O Facebook e as redes sociais em geral são consideradas os grandes vilões de quem estuda e além disso ainda precisa aprender a escrever melhor. As distrações e o tempo perdido afetam principalmente quem busca algum objetivo um pouco mais difícil. É o caso por exemplo, de quem vai prestar um vestibular concorrido, participar de um concurso ou fazer uma pós graduação (sem perder o prazo!).

Na videoaula abaixo, você vai descobrir um jeito surpreendente de fazer do Facebook um grande aliado para praticar para redação. E você pode usar a mesma técnica até mesmo para se preparar para a escrita de textos maiores, como monografias, teses e dissertações.

Na videoaula você vai encontrar:

  • Como escrever bem com ajuda do Facebook
  • Texto dissertativo-argumentativo: uma estrutura que ajuda de verdade
  • Como escrever uma boa redação (ops! textão… rss…)
  • Aprendendo a escrever melhor na prática
  • Seus exercícios de escrita no Facebook
  • E a redação do concurso ou do ENEM? E aquela dissertação?

Como escrever melhor o Facebook

Agora nós vamos descobrir como o Facebook pode se tornar um grande aliado para você treinar e aprimorar a sua escrita. O segredo está nos “textões”!

Você muito provavelmente já viu ou pelo menos ouviu falar dos famosos “textões do Facebook”. Eles são aqueles textos enormes em que as pessoas defendem alguma opinião preferida. E geralmente isso é feito de forma inflamada e às vezes até agressiva.

A grande sacada é que os “textões” são textos opinativos. Ou seja, eles se parecem muito com aqueles que você tem que produzir em uma redação argumentativa-dissertativa. O problema dos textões do Facebook é que normalmente a argumentação deles é fraca e tendenciosa.

Mas você pode construir seus textões em um outro nível. E olha só que legal: além de aprender a escrever melhor você pode melhorar o ecossistema do Facebook. Isso porque você irá escrever textos opinativos muito mais bem argumentados do que a maioria daqueles que a gente encontra por aí.

Antes de aprender como desenvolver esta argumentação de qualidade, talvez você queira ver o vídeo da semana anterior. Ele falava sobre como escrever bem mesmo que você não tenha uma grande bagagem de leitura.

Texto dissertativo argumentativo: passo a passo

Como o próprio nome diz, grande parte do valor do texto dissertativo argumentativo está na argumentação.

Na introdução você vai apresentar e descrever a sua “tese”, então o desenvolvimento do seu texto tem o objetivo de defender a tese que você apresentou. Finalmente,  na conclusão você propõe uma solução para o problema identificado.

Ou seja, a maior parte do seu texto é feita de pura argumentação.

No vídeo da semana passada, foram vistos os tipos de argumentação:

  • lógica
  • consensual
  • baseada em autoridade
  • baseada em dados

Os tipos de argumentação mais fortes são as baseadas em dados, como números, estatísticas, acontecimentos, etc… Em segundo lugar vem aquelas baseadas em autoridade. São as citações de pessoas que tenham algum tipo de importância para o tema ou de documentos oficiais. Se você quer ver exemplos concretos você pode olhar lá no vídeo anterior.

Para ajudar você a aprender como argumentar bem, você vai usar o modelo em forma de mapa mental abaixo. Ao preencher este mapa mental você já terá uma estrutura pronta para criar o seu texto dissertativo argumentativo. Ele vai “nascer” praticamente como se fosse mágica!

 

Mapa mental para desenvolver um texto dissertativo argumentativo

Baixe o mapa mental em alta resolução!

E onde entra o Facebook nisso? A proposta aqui é que você use essa estrutura para gerar seus textões no Facebook.  É um verdadeiro três-em-um, porque você vai:

  • defender melhor suas ideias
  • praticar a escrita de textos argumentativos
  • receber feedbacks de outras pessoas

Este último ponto é particularmente poderoso. Se um amigo do Face discorda de algum dado que você apresentou e apresenta outros argumentos, ótimo! Ele estará ajudando você a refinar a sua capacidade de raciocinar de maneira argumentativa. 😉

Agora vamos dar uma olhada nos detalhes desse mapa mental, e aprender a preenchê-lo para tirar o máximo proveito dele.

Como escrever uma redação (ops, textão!)

tese-e-antítese do texto dissertativo argumentativoO primeiro passo é a apresentação da tese, ou seja, da ideia que você vai defender dentro do tema escolhido.

Geralmente os textões do Face são muito mal argumentados. Um dos motivos para isso é que as pessoas já começam com uma tese (opinião) fixa em mente e acreditam que aquilo é a verdade absoluta. A partir daí, escrevem de forma emocional sem apresentar quase nada que confirme ou pelo menos reforce a opinião delas de uma maneira racional e convincente.

Mas você vai fazer melhor do que isso. Você vai iniciar o seu exercício de escrita desenvolvendo também uma antítese, ou seja, uma opinião contrária a da tese inicial.

Dados para argumentação do texto dissertativo-argumentativoEm seguida você vai começar a procurar argumentos em torno da tese e também da antítese. Os melhores argumentos são dados numéricos de fontes confiáveis. Em termos práticos, fontes confiáveis são fontes conhecidas, como jornais, revistas e grandes portais.

Para conseguir estes dados, vale a pena fazer um pouquinho de pesquisa e buscar informações concretas sobre o tema.

É importante que nesse momento você “abra a sua cabeça” para coletar os dados de uma maneira mais ou menos independente. Para isso você precisa usar fontes diversificadas de informação. Pode até ser que no processo de coleta de argumentos você mude a sua opinião inicial.

Este é o poder de uma boa argumentação! 😀

Você também vai coletar na sua pesquisa alguns argumentos de autoColete argumentos de autoridade para a sua redação. ridade. Os argumentos de autoridade são o segundo tipo mais importante de argumentos. Normalmente argumentos de autoridade são levados mais a sério por quem lê o seu texto. Se você está praticando para ser avaliado, seja no ENEM, em um concurso ou na sua Defesa de Tese, é importante saber o que as pessoas mais conhecidas da área estão dizendo. E usar a seu favor o que elas dizem!

Obviamente, é importante citar o autor ou o documento de onde você tirou aquela informação para invocar a sua autoridade.

E se você encontrar outros tipos Argumentos variados para a sua redaçãode argumentos, você também deverá anotá-los, usando o terceiro ramo de argumentos do mapa. Pode ser um argumento lógico com o qual você concordou. Também pode ser um argumento de consenso que você achou ilustrativo de um ponto importante, por exemplo.

Preenchendo o seu mapa mental, você terá em torno de nove argumentos sobre o tema escolhido. E espero que você realmente tenha se esforçado para manter a cabeça aberta. Deste modo, você terá uma distribuição de argumentos a favor da tese e argumentos que reforçam a antítese.

Idealmente, é neste momento que você vai decidir se você vai defender a tese inicial ou se você vai escrever em defesa da antítese. Afinal de contas, para tomar uma decisão, você precisa estar bem fundamentado, certo? 😉

Proposta de solução para a sua redação. Finalmente, depois de escolhida opinião que você vai defender (tese ou antítese), você começa a pensar em soluções para o problema. Com isso, você irá preencher o último ramo do seu mapa mental.

 

Vamos ver tudo isso funcionando em um exemplo prático?

Aprendendo a escrever melhor na prática

Resolvi exemplificar o uso do nosso mapa mental com um tema que é bem polêmico. A vantagem dele é que é difícil de fechar uma opinião com muita certeza, e poder gerar um debate bem rico. Este tema é a Tese e antítese para o tema do exemplo práticopirataria.

Vamos começar então pela nossa tese inicial que é uma opinião bem difundida por aí, que é  a seguinte: “A pirataria deve ser permitida por causa do direito de acesso a informação“.

E como nos comprometemos a elaborar também uma antítese a gente vai então colocar aqui uma tese completamente contrária a anterior. Ela poderia ser a seguinte: “A pirataria é um crime previsto em lei e por isso não deve ser praticada e precisa ser combatida“.

Temos então dois pontos de vista bem diferentes sobre o mesmo assunto, e agora podemos começar a coletar os argumentos.

Argumentos factuais (dados)

redação-exemplo de dados para a argumentaçãoO primeiro dado que poderia ser usado como argumento afirma o seguinte: “Enquanto uma camiseta original custa em torno de US$7 em mão-de-obra, uma pirata feita nas confecções clandestinas dos bairros paulistanos do Brás custa R$0,30“.

Note que este dado na verdade seria uma argumentação a favor da antítese. Ele ressalta o fato da pirataria gerar uma cadeia de produção que paga muito barato pela mão-de-obra. Além disso, esta mão-de-obra geralmente não está legalizada. Para completar, temos o prejuízo para o país em termos da falta de recolhimento de impostos.

Agora vamos ver outros dados, desta vez a favor da tese: o primeiro diz que “um novo levantamento realizado pelo Instituto Africano de Governança revela que a pirataria aumentou as taxas de alfabetização nos países pesquisados”. 

Esta é uma informação que pode fortalecer uma argumentação a favor da liberação da pirataria, pelo menos em situações em que ela está ligada ao direito de acesso a informação.  E para fortalecer ainda mais esta linha de argumentação,  podemos usar um dado da Fundação Getúlio Vargas que diz o seguinte: “A cada ano de estudo a renda da pessoa aumenta em média 15%”. Ou seja, estamos associando um potencial aumento de acesso a informação com um caminho de redução da pobreza.

redação-exemplo de argumentos de autoridadeArgumentos de Autoridade

Vejamos agora alguns argumentos de autoridade. Eis o primeiro: “A pirataria é um desincentivo à produção.“, do Bruno Araújo, diretor do IPEA. Esta citação do Bruno Araújo tem relação direta com aquele primeiro dado sobre a indústria da pirataria. Uma vez que ela opera com toda uma série de ilegalidades, ela desincentiva a produção dentro da lei.

Uma outra citação que eu coletei é do Martin Luther King: “Não há nada mais trágico nesse mundo do que saber o que é certo e não fazê-lo“.

Martin Luther King foi um expoente da defesa dos direitos civis nos Estados Unidos na década de 60. Ele foi assassinado por defender igualdade de direitos entre negros e brancos.

Agora veja que interessante:

Se você for esperto, esta citação pode ser usada tanto a favor da tese quanto a favor da antítese, já que vai depender daquilo que você considera “certo” no seu texto. 😉

O terceiro argumento de autoridade vem de um documento da ONU: “Em 1946, durante sua primeira sessão, a Assembléia Geral da ONU adotou a Resolução 59(1) que afirma: ‘A liberdade de informação constitui um direito humano fundamental’“.

redação-exemplo de argumentos variadosArgumentos de consenso e outros

No processo de pesquisa devemos ir coletando também outras ideias para preencher o terceiro grupo de argumentos do mapa mental.

Vejamos alguns:

  • a maior parte da pirataria é de produtos e não de livros“. Isso pode ser considerado um argumento de consenso, já que a maior parte do consumo normal das pessoas é de produtos em geral e não de livros. Logo, a maior parte da pirataria não vai ser de informação. Esta última frase, inclusive, é um argumento lógico! 😉
  • Existem maneiras legalizadas de garantir o acesso a informação”. Este é outro argumento de consenso, já que todos nós conhecemos as bibliotecas! 😉
  • Para um bom funcionamento de democracia, as leis precisam ser cumpridas“, o que seria praticamente uma defesa direta da antítese, já que ela afirma que a pirataria é um crime.

Como você vê diante dessa pequena coleção de argumentos aqui pró e contra a pirataria, este não é um tema muito fácil. Cabe a você escolher os argumentos que ressoam mais com os seus valores. A partir disso, você pode produzir o seu texto usando o material que você pesquisou para sustentar a opinião escolhida.

Antes disso, é importante tentar imaginar algumas soluções para o problema.

Encontrando soluções para o problema proposto

Vou começar esta seção fazendo um disclaimer. Uma vez que sou produtora de conteúdo e eu vivo disso, tenho a tendência a ser anti-pirataria, certo? Afinal, produzir conteúdo leva tempo e custa dinheiro, então logicamente eu não gostaria de ver um produto de informação meu pirateado…

Então eu proporia soluções anti-pirataria, mas levando em conta que existe de fato a questão do direito de acesso à informação. Veja como é importante conhecer os outros pontos de vista! E deles que a gente pode tirar excelentes ideias de soluções!

Algumas destas possíveis soluções seriam:

  1. eliminação da carga tributária na cadeia produtiva de materiais de divulgação de informação. Desta forma, teríamos um sistema tributário que incentivassem os produtores de conteúdo e reduzisse os seus custos.
  2. criação de bibliotecas públicas virtuais que fornecessem acesso aos materiais de informação online de uma maneira gratuita mas legalizada. Desta maneira o público teria acesso a informação de forma legal e o produtor receberia seus direitos por esse acesso. Estes direitos de acesso seriam comprados pelas bibliotecas.

Obviamente, nada impede de você ter uma outra posição e a partir daí apresentar soluções diferentes. 😉

O mais importante neste exercício é você perceber como a estrutura desse mapa mental ajuda a pensar sobre o assunto. Também vai ser a base para você construir um texto dissertativo argumentativo nota 1000. Ou seja, com o mapa preenchido, seus “textões” no Facebook (e outras coisas mais) terão muito mais qualidade e coerência. 😀

Seus exercícios de escrita no Facebook

O desafio que eu lanço para você agora é o seguinte:

  1. pegar um tema que você goste ou que você tenha interesse em opinar
  2. usar o mapa mental para raciocinar sobre o tema
  3. escrever um texto a partir do mapa preenchido
  4. publicar o seu texto lá no Facebook

Se quiser, pode usar a hashtag #praticandoaescritanofacebook e coloque o link para o seu texto aí embaixo nos comentários! 😉

Para ajudar, imprima o mapa:

Baixe o mapa mental em alta resolução!

E a minha redação? E aquela dissertação?

Não sei se você reparou, mas a estrutura que eu montei no mapa mental desta videoaula é exatamente a estrutura de uma redação dissertativa-argumentativa. 😉

Além disso, ela é também a estrutura de um trabalho acadêmico mais longo, como um artigo, um TCC, uma monografia, uma dissertação ou uma tese.

Confira comigo os passos:

  1. Estabelecer uma “tese”, ou seja, o problema que você vai abordar e a sua opinião sobre porque este é um problema relevante.
  2. Levantar argumentos (principalmente de livros e artigos reconhecidos) que sustentem a sua opinião.
  3. Apresentar a solução proposta pelo seu trabalho, à luz dos argumentos apresentados.

É ou não é exatamente o que você precisa fazer para desenvolver um trabalho acadêmico bem feito? 😉

Tenho certeza de que você deve querer uma cópia em alta resolução do mapa mental do artigo para você imprimir, certo? Então forneça seu e-mail abaixo para que a gente possa enviar o pdf para você baixar. 🙂

Baixe o mapa mental em alta resolução!

2 Comentários


  1. Fantástico! Ana sou sua fã. Já fiz o curso memória total e recomendo a todos. Farei um concurso q exige redação e essa sua dica foi fenomenal. Vc está sempre me surpreendendo positivamente. Muito obrigada! Bjs.

    Responder

    1. Olá, Geanne! Que bom que as informações te ajudaram. Desejo sucesso no seu concurso! Depois volte aqui para nos contar 🙂

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *