Memória fraca: isso existe? Tony Buzan dá pistas.

Você já se pegou achando que a sua memoria é fraca? Se a sua resposta for “sim”, eu acredito que hoje você vai rever os seus conceitos. Para saber o que isso significa, acompanhe o post abaixo.

Master Class Collection - Mapas MentaisMemória fraca ou forte?

Esse é o segundo post/vídeo de uma série em que eu estou abordando uma aula magna do Tony Buzan presente no DVD Master Class Collection. Para assistir ao primeiro vídeo em que eu falo sobre dificuldades de aprendizagem, CLIQUE AQUI.

Para dar continuidade a esta série e ouvir uma história fantástica sobre sistemas de memorização, assista ao vídeo a seguir:

Uma história em particular que me chamou muito a atenção no segundo DVD do Master Class Collection foi algo que aconteceu quando o Tony Buzan era calouro na Universidade de British Columbia.

Ele comenta sobre um professor de inglês introdutório que tinha duas famas: 1 – ele era um gênio; 2 – ele não gostava dos alunos e não tinha sequer o costume de conversar com eles.

No entanto, ele tinha uma memória prodigiosa e sempre fazia questão de demonstrar isso para os alunos. Tanto é que, se você o visse, não tinha como você não achar que o cara era, de fato, um gênio.

Isso foi algo que deixou o Buzan muito curioso, afinal ele já tinha interesse por questões de aprendizagem e de memória. Então ele foi perguntar para esse professor como ele fazia aquilo e o professor simplesmente respondeu que ele era um gênio. Fim.

Mas o Buzan sabia que não era isso, obviamente. Com certeza existia uma metodologia por trás daquela genialidade toda. É claro que ter uma memória incrível não deixa de ser uma genialidade, mas alguma coisa ele devia fazer para atingir aquele grau perfeito de memorização.

O sistema PEG de memorização

O Tony Buzan, ainda calouro na universidade, “perseguiu” tanto o professor que ele, por fim, o ensinou sobre o sistema PEG: um sistema avançado de memorização que permite memorizar uma quantidade muito grande de informações. Aliás, fique atento. Não tem essa história de memória fraca, principalmente se você domina um sistema poderoso como o PEG.

Para testar o sistema PEG, o Buzan pegou todo o conteúdo da disciplina de psicologia introdutória do semestre e usou o sistema PEG para estudar para uma prova. No dia da avaliação da matéria, ele fez uma prova perfeita e respondeu todas as perguntas com muito mais informações do que qualquer outro aluno da turma.

Alguns dias depois, ele foi chamado para uma reunião com vários professores da coordenação do curso de psicologia. Ele foi todo animado, claro, pois achava que iria receber uma congratulação ou algo do tipo. Mas, para o seu espanto, ele estava sendo acusado de fraude. Ou seja, acusado de ter colado na prova.

Ele ficou indignado com aquilo e até sugeriu que a coordenação perguntasse QUALQUER COISA sobre a matéria, já que ele sabia que conseguiria responder na hora para provar que não havia fraude nenhuma. Porém, eles continuavam achando impossível um aluno ter memorizado tão perfeitamente o conteúdo da disciplina.

E então iniciou-se uma discussão interminável até que um dos professores disse: “Por acaso você está usando algum sistema de memorização?” e ele – que até brinca, durante a aula magna do DVD, que tinha uma arrogância muito grande, típica daquela idade – disse: “Finalmente alguém entendeu o que está acontecendo aqui”.

Mesmo assim, para a sua surpresa novamente, a coordenação do curso continuava dizendo que aquilo (usar um sistema de memorização) era fraude. Mesmo com Tony Buzan argumentando que aprendeu toda a matéria, ele viu que, com aquele grau de ignorância por parte dos seus professores, não adiantaria nada discutir – afinal, ele era um garoto e havia vários professores pressionando-o.

Por fim, eles acabaram chegando a um acordo: ele ficaria com uma nota um décimo abaixo da melhor nota da turma. Então, se o melhor da turma tirou nota 8 na prova, ele ficaria com 7,9 e não se falaria mais nisso. Ele acabou aceitando a proposta.

Qual é a moral dessa história?

Há duas coisas que podemos prestar atenção nessa história maluca – apesar dela ser real:

1 – A hipocrisia do sistema acadêmico

Memória fraca isso existe Tony Buzan 2Além de não ensinar um sistema de memorização que permite esse nível de desempenho, se algum aluno o usa por conta própria, a universidade acha que se trata de uma fraude. Inclusive, se você achar que estaria “fraudando” ao usar um sistema de memorização avançado, fique sabendo que você não estaria fraudando nada.

O grande objetivo da aprendizagem é memorizar as informações e saber trabalhar com elas posteriormente. Logo, o primeiro passo para uma boa aprendizagem é a memorização. Usar um sistema de memorização é apenas uma forma inteligente para você encurtar o tempo até a sua aprendizagem acontecer.

2 – Sistemas de memorização facilitam a sua aprendizagem

Outra coisa que eu acho importante chamar a atenção é que existem sistemas de memorização que te deixam em uma situação de extrema vantagem em termos de aprendizagem. Essa vantagem é praticamente “injusta” em relação às pessoas que não utilizam ou não conhecem técnicas desse tipo.

É muito diferente usar um sistema de memorização ou simplesmente memorizar na base da força bruta. Na força bruta você até consegue memorizar o quanto você quiser, mas é necessário que você tenha tempo para fazer inúmeras repetições. O problema é que a maioria das pessoas não tem esse tempo todo.

No caso dos estudos, por exemplo, se você não tem tempo de memorizar um volume grande de informações, você certamente só vai memorizar algumas coisas, estudar “mais ou menos” e tirar notas medianas. No entando, se você tem um sistema de memorização eficiente, você só precisa trazer as informações para a memória quando for realizar uma prova e trabalhá-las ao seu favor naquele momento.

E aí, você mudou de opinião em relação à sua memória? O que eu quero dizer é: existem sistemas de memorização que facilitam muito a sua vida – e eles não são uma fraude. Pelo contrário: eles representam uma forma legítima de aprendizagem.

Se você gostou desse conteúdo, responda abaixo a seguinte pergunta: Para que tipo de informação específica você gostaria de ter esse grande poder de memorização? Em um artigo futuro, eu posso abordar técnicas específicas de memorização, além de te indicar livros de para melhorar a sua memória!

Por enquanto, você pode conferir um post aqui no blog sobre o “Palácio da Memória”: uma técnica milenar de memorização usada pelos grandes oradores da antiguidade para fazer discursos sem nenhum tipo de apoio. Clique aqui e saiba mais!

E, não esqueça, no próximo artigo eu comentarei sobre o terceiro DVD do Tony Buzan. A gente vai continuar falando de memória, mas, dessa vez, o tema será a fundamentação dos mapas mentais. Para não perder nadinha do nosso conteúdo gratuito, inscreva seu email na nossa lista usando o formulário no topo da página.

60 Comentários


  1. Olá Ana,
    Parabéns pelo trabalho. Entrei em contato com o seu blog ha pouquissimo tempo, e me encantei. Já encontrei muitas informações relevantes, que me interessaram.
    Gostaria muito de melhorar minha capacidade de memorização. Este é um assunto que vem me rondando há algum tempo. Tenho a sensação de ler e ouvir muito informação, mas não consigo rete-las. Como a Aline, muitas vezes confundo as informações, ou memorizo de forma muito superficial.
    Trabalho vendendo imoveis no exterior e, preciso memorizar uma quantidade absurda de informações. Não só sobre os empreendimentos, os bairros, e o valor do metro quadrado, mas tambem, sobre a historia da cidade, do país, dados de populaçao, PiB, inflaçao, juros, até informações menos importantes, mas não menos relevantes, como restaurantes, vinhos e etc.
    Além disso, tenho uma ´neura´ em não ficar gagá. Quero exercitar minha mente para ser uma velhinha bem informada e antenada.
    Como fazer??

    Responder

    1. Olá, Cristianne. Uma boa forma de memorizar as informações necessárias para cada imóvel é através do palácio da memória. Cada cômodo de cada casa você pode associar com alguma dessas informações que você citou. Aqui no post tem um link para uma aula sobre palácio da memória. Espero que ajude.

      Responder

  2. Olá,

    Eu sou de Recife e estou estudando para concursos de tribunais (meu concurso é daqui a 50 dias) e amigos me indicaram seu blog e canal do youtube, e eu AMEI!!
    Algumas técnicas já conhecia e aplico, mas estou MUITO curiosa para aprender esse “SISTEMA PEG”. É incontroverso que só assim terei competitividade em menos tempo para suprir minha necessidade de ser aprovada. Há algum material disponível na internet? Ou onde posso aprender mais sobre ele? MUITO OBRIGADA!

    Responder

    1. Oi, Camila, seja bem vinda!
      não sei se o PEG é o melhor sistema para concursos, a não ser que seja para fazer uma grande revisão. Se vc está com pouco tempo a situação é um pouco pior, porque o PEG demora um pouco para aprender. Ainda acho que mapas mentais dentro de um método estruturado como o AM³ vão te dar uma base mais sólida. O PEG tem a vantagem da precisão na informação memorizada, mas tem a desvantagem de ter um limite físico, mesmo este limite sendo muito grande.
      De todo modo, vc pode aprender sobre o PEG no livro do Alberto D’Isolla, Mentes Geniais. Se não me engano ele não chama de PEG, mas é o mesmo sistema que eu uso.
      Não temos turmas do AM³ agora, mas vc pode se cadastrar para ficar sabendo da próxima turma aqui http://maisaprendizagem.klickpages.com.br/matriculas-setembro-2016-encerradas

      Responder

  3. Ola tudo bem, eu gostaria de memorizar tos os países do mundo e suas respectivas capitais.

    Responder

  4. Olá Bom dia !
    Ana , acabei de fazer um curso técnico de enfermagem e mesmo sendo recém formada existe informações que parece que nunca entrei em contato com elas, tenho uma dificuldade enorme de raciocínio e de memorizar qualquer informação ,e mesmo quando as memorizo elas me confundem.
    Por exemplo tentei fazer um castelo da memória no qual teria que decorar os presidentes do brasil no qual cada um ficasse em um comodo ,no final me confundi até com os nomes, imagine o comodo que cada um estava ,passo horas estudando um assunto e mesmo assim esqueço, e quando lembro não tem nenhuma riqueza de detalhes em nada. Enfim já tentei diversas formas de memorização inclusive os mapas mentais mas eles também me confundem .me sinto um caso perdido .Gostaria da sua ajuda oque você acha que eu posso fazer ?

    Responder

    1. Oi, Aline, bom dia!
      geralmente quando a pessoa se confunde assim pode estar acontecendo duas coisas: a primeira é vc ter feito poucas associações, ou associações muito fracas. É importante que elas sejam impactantes: bem concretas, exageradas, engraçadas, bizarras, etc… Outra possibilidade é vc ter pouca prática na visualização. Vc pode melhorar bastante a sua capacidade de “enxergar” os detalhes fazendo um exercício simples. Pegue um objeto qualquer da sua casa, olhe para ele por alguns segundos, e depois tente desenhá-lo de cabeça. Volte a olhar, e faça um novo desenho (geralmente o número de detalhes q vc consegue desenhar aumenta). Repita umas 3 vezes e passe para outro objeto (vc pode fazer um objeto por dia).
      Espero que ajude!
      Abraço.

      Responder

  5. Alo, tudo bem!
    Tenho uma experiência pra contar. Meu pai antes de morrer comprou uma maleta com fitas cassetes, um livro e uma apostila. Este curso se chamava: Leitura Dinâmica e compreensão imediata. Era como se a leitura fosse facilmente dinamizada ao fazer os passos e o treinamento que o curso oferecia.
    Como se pudêssemos ler até vinte vezes mais rápido ou mais do que costumávamos ler. Tentei acompanhar o curso várias vezes mas nunca enxergava qualquer progresso que me ajudasse a continuar a empreitada. Quanto mais rápido olhássemos o texto do livro com o tempo a lembrança posterior a leitura era mais fluente. E por consequência a leitura era cada vez mais acelerada e a apreensão do conteúdo do livro era mais fácil. Mas o treinamento exigia esforço e não se notava progresso. O que tínhamos a fazer era ver as frases do livro com rapidez sem ler mentalmente cada palavra e o cérebro depois da passada de olhos decodificaria tudo e se estivéssemos preparados a lembrança apareceria como por milagre. Qual a sua opinião sobre esse método de leitura dinâmica e compreensão imediata. Obrigado Maurício

    Responder

    1. Bom dia, Maurício. Realmente, está parecendo um milagre, e sinceramente, não funciona assim.
      Fazer uma leitura super-rápida do texto sem se preocupar em ler todas as palavras pode ser um excelente aquecimento para a leitura “real”. De fato, isso dá ao cérebro pistas importantes sobre o que trata o texto e aumenta a velocidade na hora de fazer a leitura completa do material. Mas a leitura completa tem que acontecer, não tem milagre aqui. Por outro lado, é sim possível – e até recomendável – fazer a leitura completa muito mais rapidamente que a maioria das pessoas faz. Dá pra chegar, por exemplo, a uma média de 700-800 palavras por minuto em textos não-técnicos, sem perda de compreensão. Claro que para isso precisa de treino específico em leitura completa, e não varredura (que é nome desta leitura mega-rápida que vc cita).

      Responder

  6. Boa noite, sou estudante de direito e com um grande projeto pela frente de primeiro terminar a faculdade e depois passar no concurso dos meus sonhos que é de juiz federal e fiquei fascinado por esse método de aprendizagem.

    Responder

  7. Olá Ana, muito interessante esse vídeo, fiquei muito entusiasmado com o assunto e gostaria de saber se você poderia fazer um vídeo comentando sobre esse sistema PEG. Meu objetivo é memorizar grandes quantidades de informações como leis inteiras.

    Responder

    1. Oi, José, eu ensino o sistema PEG completo no meu Treinamento Memória Total. Neste momento não há turma prevista, mas fique na nossa lista para ficar sabendo, ok?
      Abraço,
      Ana

      Responder

  8. Sou estudante de psicologia. Gostaria de melhorar a minha memorização para acelerar o aprendizado durante o curso,e em especial as disciplinas de Neurociências e Desenvolvimento Humano.Obrigada!

    Responder

  9. Eu gostaria de memorizar termos técnicos e científicos que são abordados no universo acadêmico, pois eu tenho muita dificuldade.

    Responder

  10. Boa noite, gostei muito dos artigos. Gostaria de saber como posso usar técnicas de memorização avançadas para aprender mais rápido outros idiomas, material para concurso…

    Grato desde já.

    Responder

    1. Fique de olho no blog, Pedro, que eu vou dar um webinário em breve sobre isso. 😉

      Responder

  11. Sou estudante de Direito e estou me preparando para a prova da OAB. Gostaria de melhorar a minha memorização para acelerar o aprendizado sobre Direito Constitucional.

    Responder

  12. Estou aguardando há alguns minutos a confirmação de email para dar entrada no site.
    Podem me ajudar?

    No aguardo,
    Att,
    Fernanda Anjos

    Responder

    1. Fernanda, já recebeste a confirmação de inscrição do nosso site?
      Se não, entre em contato novamente conosco.
      Abraços, Marcelo.

      Responder

  13. Gostaria de utilizar técnicas de memorização para acelerar o meu aprendizado em idiomas. Já vi alguns materiais a respeito, mas não são muito bons.

    Responder

  14. Gostaria de memorizar conteúdos de concurso e outros livros de conhecendo relacionados a minha profissão, documentários.

    Responder

  15. Olá Ana, primeiramente meus parabéns por mais um vídeo maravilhoso, estou acompanhando essa série sobre os DVD’s do Tony Buzan. Eu gostaria de ver vídeos ensinando este sistema PEG, ele realmente me deixou muito curioso, usaria ele para os conteúdos da faculdade, para concursos e para a vida no geral. Obrigado!

    Responder

    1. Oi, Lucas, o sistema PEG precisaria de vários vídeos para ensinar direitinho. Para aprendê-lo é preciso ter uma base de outros sistemas mais simples, praticar um pouco com eles e aí sim,
      aprender o PEG. Se a pessoa pegar o PEG logo de cara, corre o risco de se sentir sobrecarregada e desistir. Estamos analisando a possibilidade disso virar um treinamento. 😉

      Responder

      1. Entendi, interessante, aquele dia que vi o vídeo dei uma pesquisada sobre ele, na sua opinião ele é o mais poderoso que existe, superando inclusive os mapas mentais?

        Responder

        1. Oi, Lucas, tudo bem?
          Os mapas mentais são ferramentas de anotação que facilitam a memorização. O sistema PEG é independente, pode ser usando junto com os mapas ou sem eles.
          Abraço

          Responder

          1. Olá Ana, tudo bem e contigo? Entendi, obrigado, vou tentar aprender o sistema PEG, pra ver se ele é tão poderoso quanto o Buzan disse e tentar conciliar ele com os mapas mentais, isso deve potencializar muito a memória… Abraço!


          2. Isso aí, Lucas, depois me conta o resultado. 🙂


  16. ola! gostaria de aprender a memorizar a lição para fazer a prova, estou estudando pedagogia e tenho dificuldade para lembrar de tudo que li no dia da prova, então seria legal poder memorizar a matéria e também para estudar para concurso.
    odete

    Responder

  17. Olá Ana!
    Primeiramente, parabéns pelo blog, seu conteúdo é realmente de qualidade.
    Meu interesse em memorização é voltado principalmente para leis, não somente a Constituição Federal, mas algumas leis mais específicas, como a 8.666/94 ou a 8.112/90.
    Abraços.

    Responder

    1. Acho que decorar a Constituição seria o sonho de todo concurseiro!

      Responder

  18. Oi, Ana! Amo seu site e trabalho!
    Sobre sua pergunta no vídeo, no meu caso, eu gostaria de memorizar artigos e incisos da constituição para concursos.

    Até mais!

    Responder

  19. Parabéns pelo teu trabalho Ana, eu gostaria de utilizar técnicas de memorização para todo o tipo de atividade intelectual, pois leio bastante, e não retenho muito do conhecimento adquirido.

    Responder

  20. Oi Ana!!Seu site é ótimo, gosto muito!!!Fiquei curiosa sobre esse método PG!!!!E meu desafio atual e dominar o TCC do meu MBA e transforma-lo em um projeto na minha empresa!!!bjs

    Responder

  21. Olá Ana! Me chamo Guilherme, tenho 18 anos, faço curso de Técnico em Mecatrônica e tenho o desejo de entrar em uma Universidade Pública de destaque como a USP ou Unicamp. Confesso que no Ensino Médio não ligava muito para estudos e não merecia nem se quer ter me formado, pois me formei sem saber aplicar nem uma palavra do que foi passado em aula (obviamente por um sistema de ensino falho consegui o diploma do EM) e tão pouco ligava, tinha o pensamento de que nada na vida se aplicaria o conhecimento passado em sala.

    Hoje, deixei de ser um poço de ignorância, tenho que estudar todo o conteúdo do ensino médio em 1 ano para prestar os vestibulares e, nestes estudos, descobri algo muito interessante, o conteúdo dado nas escolas se aplicão em tudo, vejo ao meu redor o quão extenso é a quantidade de informação capaz de ser associada à matéria estudada. Aqui já havia reconhecido a importância de aprender e posteriormente encontro minha motivação para estudar: tornar mais transparente minha visão de mundo, ter novas ideias, fazer algo de útil em bem da comunidade e, a maior motivação de todas, é dominar o que vim tentando aprender desde cedo que é a informática, quanto mais eu estudava sobre programação, menos ainda entendia e, quanto menos entendia mais desejava o saber. Maldita seja essa dicotomia, mas é o que me fez apaixonar, é o que me fez desejar saber não só sobre a informática, mas de tudo o que me cerca, é o que me faz levantar da cama, sentar a bunda na cadeira e estudar todos os dias desejando entrar em uma das melhores universidades do país.

    Tudo parece tudo muito bom até aqui, com essa espécie de transparência sobre a importância de saber e a motivação para tal, então, decidi separar o material de estudo e estudar em casa sozinho, porém me vem uma dificuldade, não é nem da falta de um facilitador para a matéria, eu consigo entende-la perfeitamente, entretanto, para cumprir todo o Edital que requer os vestibulares, tive de separar 4 aulas por dia, 27 dias por mês durante 12 meses, cada aula vejo um tema extenso, em torno de 4 à 8 páginas do livro, totalizando de 16 a 32 páginas por dia. E também organizei um sistema de revisão da seguinte maneira: após 24 horas ao estudo do conteúdo, faço a primeira revisão e, após 3 dias da primeira revisão faço a segunda, e depois tornando a revisar 1 vez por semana durante 2 meses, após 2 meses reviso apenas por semestre. Imagino que já deu para perceber a bola de neve que isso se tornou, fora que ainda curso mecatrônica.

    Para concluir, primeiramente me perdoe o texto longo!
    Como posso estudar para o vestibular de maneira eficiente, de maneira que eu tenha todo o conteúdo extenso do edital em minha cabeça. Ou melhor, como “enfiar” 36 páginas de conteúdo na cabeça, revisar 36 páginas do dia anterior, 36 páginas de 3 dias atrás e, ainda conseguir manter o conteúdo recém estudado perfeitamente e pronto para ser revisado no dia seguinte ?

    E agora a única frase que eu deveria ter comentado aqui: Qual a melhor forma de manter o conhecimento, sem que vire uma bola de neve “exaustiva”?
    Há também casos que logo ao fim do estudo, simplesmente desaparecem informações da mente que estavam ali à 1 segundo. Qual o melhor “remédio” ?

    Vejo tanta gente que estuda do zero em 1 ano e passam em grandes universidades, me faz pensar como elas conseguem tal resultado e o que me faz diferente. Em questão de empenho, foram os mesmos 1 ano de estudo esforçoso, motivação é a melhor que consegui e é a que ainda me motiva todos os dias, cérebro tem o tamanho de um cérebro normal, neurônios tem de sobra, comi na infância, tomei Biotônico, tomei leite materno. Não há nada de meu conhecimento que me torna diferente daqueles que em 1 ano se torna campeões nos vestibulares, como eles conseguem tal feito e eu não ? Qual o segredo para ser um campeão ?

    Responder

    1. Opa, Guilherme,
      parabéns pela sua abertura da mente para a aprendizagem. Na verdade, muita gente passa pela escola pensando como vc pensava, e boa parte da responsabilidade é da própria escola, que não consegue mostrar para as pessoas isso que vc acabou descobrindo: que conhecimento tem tudo a ver com a vida! 🙂
      Essa é uma pergunta que já me apareceu muitas vezes por aqui, e a resposta que eu criei para isso é um método de estudo, chamado Método AM3. Eu só tenho duas turmas por ano, e vou abrir a próxima em outubro, então sugiro que fique ligado no blog. Se não tiver cadastrado seu email, cadastre, ok?
      O grande furo no seu sistema é que vc tentar revisar “tudo”. Não dá. Vc precisa saber resumir muito bem o que estuda, ENQUANTO ESTUDA, para que a revisão seja viável. No Método AM3, fazemos isso por meio de mapas mentais. Sugiro que vc dê uma olhadinha aqui: http://www.maisaprendizagem.com.br/metodo-am3/ e aqui: http://www.maisaprendizagem.com.br/treinamento-am3-3a-turma/
      Abraço!

      Responder

  22. Ana,muito bom o vídeo.
    Se fôssemos ensinados e incentivados a usar técnicas de memorização nossos estudos seriam muito mais produtivos por que memorizar sem técnica requer um tempo de que não dispomos em virtude das mais diversas atividades diárias. E acabamos lendo,lendo,relendo e retendo pouco conteúdo.

    Responder

    1. Exatamente, Fernanda! Chega a ser criminoso o fato desse tipo de técnica não ser ensinada nas escolas!! Parece que “alguém” decretou que estudar tem que ser o mais difícil possível, senão
      não tem graça. :p
      Abraço.

      Responder

  23. Muito bom seu canal. Videos muito claros e de fácil entendimento. Eu sempre me interessei pelo assunto de memorização já vi alguns métodos mais nunca aprendi realmente algum deles. Aprender memorização para concursos acho bem legal. Mas eu queria mesmo era aprender um método rápido para montar um cubo mágico de olhos vendados. A principio parece ser algo difícil mas na verdade não é tem apenas que memorizar as peças e ai montar, montar eu já sei agora memorizar que é o problema. aqui vai um vídeo para vc entender melhor https://www.youtube.com/watch?v=LkJaen4O7zM não é muita coisa pra memorizar precisa memorizar 7+11 letras a ideia de um método rápido pois pessoas que montam rápido memorizam em menos de 30 segundos tudo. Exemplo(https://www.youtube.com/watch?v=_ze-sBEll1w). eu uns 2 minutos já ficaria feliz. Qual método vc indicaria?

    Responder

    1. Oi, Márcio, eu usaria um sistema de associação de cada letra com palavras bem concretas. As combinações vc memoriza combinando as imagens de forma bizarra ou com algum tipo de movimento.
      Exemplo, se C é casa e L é limão, vc pode memorizar CL imaginando uma casa toda feita de limões (tipo a casa de doces da bruxa, ahahahah) ou uma casa que cospe limões pela janela. 😉

      Responder

      1. Legal vou pensar. Muito obrigado só vi hoje. Aproveito e parabéns pelo chat hoje a noite. Eu tenho o livro do Buzan Memória Brilhante estou lendo lá tem algumas técnicas.

        Abraços

        Responder

  24. Boa tarde, primeiramente gostaria de parabenizá-la , seus vídeos são muito ricos em informações úteis!!!
    Gostaria de memorizar os conteúdos didáticos para o vestibular, principalmente textos(poemas, frases) para citação. Obrigado!

    Responder

  25. Boa noite!!
    Minha necessidade de ter uma boa memória é para aumentar minha qualidade nos estudos para concurso público.

    Responder

  26. Olá Ana tudo bem!!!

    sou seu fã obrigado pelas dicas que ajudam muito no dia a dia

    gostaria de ter um método para memorizar legislação e fórmulas de estatística

    Responder

    1. Beleza, Edeson, legislação é assunto top mesmo! Estou ligada nele, aguarde novidades. 😉

      Responder

  27. Boa tarde! Sensacional o seu site, estás de parabéns! Me tornei fã e indico com muito prazer.

    Sobre o tipo de conteúdo que eu gostaria de usar técnicas de memorização seria: Leis, jurisprudência, sumúlas, etc. Ou seja, a hermenêutica do Direito. E também para aprender Matemática.

    Responder

    1. Anotado, Juan! Legislação é mesmo um hit quando o assunto é memorização… 😀

      Responder

  28. Meu interesse na memorização é para aprender idiomas, foco principal no inglês.
    Seu conteúdo é excelente Ana. Parabéns!

    Responder

  29. Como estudo para concursos públicos quero memorizar legislação específica.

    Responder

  30. ANA LOPEZ!!!!!! Eu simplesmente adorei este segundo vídeo! Você realmente acertou em cheio o meu problema! Sistema Acadêmico, é este o ponto! Vou entrar na semana de provas dos 4- semestre (Quarto semestres). É realmente preciso tem estaferramenta de memorização em mãos, não só para ser o melhor, mas para ter o conhecimento e utilizar na vida profissional! Nunca tive a intenção de ser o melhor mas sim de aprender! Não sei como, mas quero aprender a memorizar a matéria mesmo! MEU AJUDA! POR FAVOR!!!!!!! Estou muito emocionado com a possibilidade de memorizar as matérias! ME AJUDE!!!!!!!! Pelo amor de “DEUS”, que tenho certeza que você tem!

    Responder

    1. Puxa, Iris, que entusiasmo! Fique ligado nos próximos materiais, que vou falar mais sobre memória, a galera ficou meio louca com esse tema…. rssss.

      Responder

  31. Olá Ana!
    Muito bom o vídeo!
    Tenho interesse de conhecer melhor esses sistemas de memorização sim, para diversas utilizações como: Apresentação de projetos e palestras, aprendizado de outras línguas, linguagens de programação, etc.

    Responder

    1. Anotado, Márcio, está sendo muito interessante descobrir os interesses de vocês! 🙂

      Responder

  32. Ana, gostei muito da informação que vc publicou sobre memória e queria te perguntar quais são as técnicas mais eficazes para eu ler e digerir um livro de 200 folhas no menor tempo possível e explanar este conteúdo de uma forma compreensível?

    Responder

    1. Tem o mentes geniais, do Alberto Dell’isola, que dá um bom panorama dos métodos existentes, Alisson.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *